Aparente ataque de ransomware provoca o desligamento de telas do Aeroporto de Bristol

Aparente ataque de ransomware provoca o desligamento de telas do Aeroporto de Bristol

As telas de informações sobre os vôos que estavam em locais estratégicos foram restabelecidas e estão funcionando novamente.

As telas de informações sobre os vôos que estavam em locais estratégicos foram restabelecidas e estão funcionando novamente.

O Aeroporto de Bristol, localizado no sudoeste da Inglaterra, foi atacado pelo que aparentemente seria um ransomware que forçou o aeroporto a desligar as telas de informações sobre os vôos em um esforço para manter o controle da situação, informou a BBC.

Na sexta-feira (14) passada, o aeroporto anunciou através do Twitter que estavam “passando por certos problemas técnicos com as telas de informações sobre os vôos”.

“Acreditamos que houve uma tentativa de acesso aos nossos sistemas administrativos, uma situação que exigiu a desativação de vários aplicativos como medida de precaução, incluindo aquele que fornece os dados com as informações sobre os vôos que aparecem nas telas”, disse o porta-voz do aeroporto James Gore. “Isso foi feito para conter o problema e evitar qualquer impacto nos sistemas mais críticos”, destacou.

Os telas de informações localizadas em lugares estratégicos, como os saguões de embarque e desembarque, ficaram desligadas até a manhã do domingo (15). De acordo com este post no Twitter, os responsáveis pelo aeroporto continuararam trabalhando para restabelecer completamente a cobertura dos displays.

Ao tentar lidar com a possível infecção de um malware, o aeroporto recorreu a medidas de contingência, como o uso de quadros brancos e marcadores, assim como cartazes de papel, nos quais colocavam as informações sobre as chegadas e partidas.

Nenhuma chegada ou partida foi afetada pelo que o porta-voz do Aeroporto de Bristol descreveu como uma tentativa “especulativa”, em vez de um ataque direcionado particularmente ao Aeroporto de Bristol. Por outro lado, a segurança do aeroporto e de seus sistemas nunca esteve em risco, disse Gore. Nenhum pagamento foi feito para que os sistemas fossem restabelecidos.

Não é necessário voltar muito no tempo para encontrar exemplos de aeroportos que tiveram que lidar com ciberataques. Em março deste ano, o Aeroporto Internacional de Atlanta Hartsfield-Jackson, que tem o maior movimento mundial, tomou a precaução de fechar sua rede Wi-Fi gratuita e desativar alguns dos recursos de seu site após a rede de computadores do governo da cidade ter sido vítima de um ataque de ransomware.

Em 2017, dois aeroportos ucranianos estiveram entre os afetados por ataques que foram bastante divulgados. Neste sentido, o Aeroporto de Kiev esteve entre as vítimas de um semi-clone do Petya em junho daquele ano, enquanto o Aeroporto de Odessa teve que enfrentar o ataque Bad Rabbit em outubro do mesmo ano.

Discussão