Para quem você vai deixar a sua herança digital?

Você já pensou no que fará com seu legado digital quando não estiver mais vivo ou viva? Explicamos como é possível organizar sua herança digital no Facebook, Google, Twitter e outras plataformas.

Você já pensou no que fará com seu legado digital quando não estiver mais vivo ou viva? Explicamos como é possível organizar sua herança digital no Facebook, Google, Twitter e outras plataformas.

Não há uma maneira fácil para dizer isso, mas todos nós morreremos um dia. E, uma vez mortos, o que acontece com a nossa herança digital nas redes socias? Isto pode parecer algo sem importância neste exato momento. Mas, na verdade, não é bem assim.

Se não planejarmos o que fazer com a nossa herança digital, caberá a nossos entes queridos passar por este processo doloroso. Além do luto e da papelada habitual, eles terão que lidar com o Facebook, Twitter, Apple ou qualquer outra conta que você use atualmente. Além disso, eles podem querer proteger sua memória, mas também podem optar por evitar notificações sobre seu aniversário.

Há menos de 15 anos, isto não era realmente um problema. Claro, havia pessoas no MySpace e em outras redes sociais, mas a Internet ainda era jovem e pequena o suficiente para que não tivéssemos que nos preocupar com nosso legado (nem por qualquer outra coisa).

Mas agora administrar a herança digital de familiares e amigos falecidos é um problema crescente e, em algumas décadas, plataformas como o Facebook podem até ter mais perfis de pessoas mortas do que de pessoas vivas, principalmente quando sua base de usuários começa a estagnar. E, sejamos sinceros, estamos ficando mais velhos, e a Geração Z tem sua própria fatia da web.

Como administrar a sua herança digital?

É um processo complicado. Mas não levará mais de uma hora para ser feito, e então você não terá que pensar mais nisso. Bem, você pode voltar e verificar seus contatos de confiança a cada cinco anos só para ter certeza de que as pessoas escolhidas ainda estão tão próximas como estavam quando foram dados o poder e a responsabilidade de decidir o que fazer com sua vida virtual após a sua morte.

1. Facebook

Se você tem uma conta no Facebook, certamente já compartilhou muitas fotos, pensamentos e momentos que foram importantes para você. O Facebook permite dois caminhos diferentes para quando você falecer:

  • Você pode escolher que sua conta seja excluída depois de sua morte. Este é um pedido que você faz ao Facebook e que ninguém pode mudar. Entretanto, isto requer que alguém envie uma foto de sua certidão de óbito para a Meta a fim de informar a empresa sobre o seu falecimento. Certifique-se de que alguém próximo saiba que é o seu desejo e o que deve realizar este processo quando chegar a hora.
  • Você pode escolher um contato de legado que irá administrar sua conta memorial. Este deve ser alguém em quem você confia e que estará disposto a gerenciar seu perfil, publicações de homenagens, fotos, etc. Enquanto para algumas pessoas isto pode ser emocionalmente angustiante, outras podem encontrar conforto nesta atividade, então pense bem e escolha a pessoa certa.

Quer decida mandar alguém cuidar de seu perfil, quer o exclua, fale com a pessoa que você considera que pode fazer isso. Considere a dor pela qual as pessoas passarão e pergunte se elas acham que estariam dispostos a se responsabilizar por este processo. Além disso, o contato escolhido deve poder acessar sua certidão de óbito e, é claro, também precisa contar com uma conta no Facebook.

Imagem 1.

2. Instagram

Embora o Instagram seja parte da Meta, como o Facebook, os usuários desta rede social não podem decidir sobre a exclusão de suas contas. Uma conta pode ser transformada em memorial através da solicitação de uma pessoa autorizada ou de um membro da família em posse de uma certidão de óbito, mas ninguém pode gerenciar suas imagens, vídeos ou configurações de privacidade.

Os Termos de Uso e Impressão do Instagram são claros: “não reivindicamos a propriedade do seu conteúdo, mas você nos concede uma licença para usá-lo”, destaca a rede social. Embora ninguém possa apagar sua conta após a sua morte, o Instagram ainda pode argumentar o direito de usar seu conteúdo.

3. Google

É provável que você use muitos dos serviços do Google, incluindo o Gmail, o YouTube ou mesmo o Google Drive. E se você tiver um smartphone com o Android, estas contas podem estar sem dúvida cheias de documentos importantes e imagens que fazem parte da sua memória.

Para evitar que suas informações fiquem inacessíveis, você pode habilitar o Gerenciador de contas inativas do Google. O Google pode então detectar a inatividade de sua conta e emitir um link de download para um contato que você tenha escolhido anteriormente. O período de tempo que determina sua inatividade depende de você, assim como quais dados podem ser baixados.

Você também pode decidir se sua conta deve ser excluída três meses após ter sido compartilhada com seu contato de confiança. Entretanto, isto implica que todo o seu conteúdo será excluído, incluindo vídeos do YouTube ou posts em blogs, o que é uma das razões pelas quais nem todos podem querer habilitar esta opção.

Alternativamente, se você optar por não deixar nenhuma instrução, seus familiares ou representante legal podem solicitar a exclusão de sua conta e até mesmo alguns dados. O Google indica que suas decisões continuarão a ter sua privacidade como prioridade e cada caso será analisado individualmente.

Imagem 2.

4. Microsoft

A Microsoft não fornece nenhuma ferramenta específica que permite administrar sua herança digital, ou para que um membro da família solicite a exclusão de sua conta. Entretanto, a Microsoft pode excluir contas através de ordens judiciais.

A única exceção se aplica aos clientes na Alemanha, cujos sucessores legais podem entrar em contato com o serviço de atendimento ao cliente da Microsoft e, se estiverem na posse de uma certidão de óbito e outros documentos, solicitar o encerramento da conta.

5. Twitter

O Twitter não tem uma política em vigor que permita decidir o que você quer que aconteça com a sua conta após a sua morte.

Ao invés disso, a rede social permite que um membro da família ou representante autorizado entre em contato com o Twitter e solicite a exclusão de sua conta. A plataforma solicita uma cópia da certidão de óbito, bem como o Registro Geral (RG) do solicitante e possivelmente algumas informações adicionais.

6. Apple

A Apple adicionou a possibilidade de escolher um contato de legado em 2021. Este recurso só está disponível para pessoas maiores de 13 anos e tem algumas limitações técnicas: o usuário deve ter uma ID da Apple ativa em um dispositivo rodando pelo menos o iOS 15.2, iPadOS 15.2 ou MacOS Monterey 12.1. O ID da Apple e também deve ter a autenticação de dois fatores habilitada.

Caso cumpra os requisitos, você pode executar este processo em seu dispositivo da seguinte forma: acesse Ajustes e toque no seu nome, selecione “Senha e Segurança” e toque em Contato de Legado. Isto gera uma senha em formato de código QR que pode ser enviada via Mensagens ou impressa, caso queira entregar para a pessoa escolhida. Quando o dia chegar, a pessoa pode solicitar acesso via web ou diretamente em um dispositivo iOS ou macOS. A Apple também solicita a certidão de óbito antes de conceder acesso à conta.

 

7. PayPal

Embora o processo para a maioria dos bancos tradicionais seja bastante padronizado, as pessoas estão menos acostumadas a lidar com contas digitais em serviços como o PayPal. Como nas outras plataformas, o PayPal só pode receber instruções de um executor ou administrador autorizado do patrimônio do falecido para fechar uma conta e transferir fundos. Além da certidão de óbito, o representante legal também deve ter provas de sua posição através de um testamento ou documentação emitida pelo Estado. Depois deste processo, o saldo restante poderá ser transferido para outra conta do PayPal ou emitido como um cheque.

Sua vida digital é como um álbum de família

Então é o seguinte: temos observado o desenvolvimento da tecnologia e nos acostumamos rapidamente a ela. Colocamos fotos on-line sem pensar muito, ou sem pensar no que isso significa. Como podemos tirar centenas de fotos em um dia sem ter que pagar nenhum extra por cada vez que pressionamos o botão do obturador em nossa câmera telefônica, as imagens perderam parte de seu valor. Mas na realidade, uma vez que morremos, estas são as imagens pelas quais nossos conhecidos, amigos e entes queridos se lembrarão de nós. Portanto, considere tomar algumas medidas adicionais em paralelo à organização de seu legado digital:

  • Faça o backup de seus dados. As redes sociais são serviços executados por empresas, e elas podem um dia ter que fechar e apagar todos os seus dados em um instante, às vezes até por engano.
  • Faça um segundo backup de documentos e imagens importantes que você realmente não quer perder.
  • Quando falamos sobre as melhores práticas relacionadas às senhas, sempre destacamos a importância de não compartilhar suas senhas com outras pessoas. Entretanto, ao planejar a gestão de seu legado digital, você pode acabar tendo que “quebrar” esta regra. Como a Microsoft sugere, isto é o que você deve fazer para realizar um planejamento digital do seu legado, e a maioria dos outros serviços on-line são claramente mais fáceis de serem gerenciados por seu executor digital caso tenha acesso às credenciais de sua conta, podendo fazer o login em sua conta como se fosse você.
  • Verifique seus contatos de legado a cada poucos anos e confira se seus backups estão funcionando – ter todas essas informações organizadas também pode ser muito útil enquanto você estiver vivo. 😊

Cadastre-se para receber por e-mail todas as atualizações sobre novos artigos que publicamos em nossa seção referente à Crise na Ucrânia.

Newsletter

Discussão