Polícia realiza ação para combater crimes na Internet

Polícia realiza ação para combater crimes na Internet

A Polícia Civil realiza uma grande operação contra crimes cibernéticos em municípios da Baixada Fluminense e Zona Oeste do Rio. Entre os crimes investigados estão a pornografia de vingança e o estupro virtual.

A Polícia Civil realiza uma grande operação contra crimes cibernéticos em municípios da Baixada Fluminense e Zona Oeste do Rio. Entre os crimes investigados estão a pornografia de vingança e o estupro virtual.

Agentes policiais cumprem, nesta terça-feira (27), oito mandados de busca e apreensão em municípios da Baixada Fluminense e Zona Oeste do Rio. A ação investiga casos de crimes que envolvem pornografia de vingança e estupro virtual, principalmente contra mulheres. Segundo o portal de notícias G1, “até as 7h15, um suspeito havia sido levado para a delegacia, onde seu celular seria periciado”.

Um assunto que tem adentrado nos tribunais brasileiros diz respeito à pornografia de vingança. Esse crime, também conhecido em inglês como “Revenge Porn”, é o ato de expor publicamente, na Internet, fotos ou vídeos íntimos de terceiros (sem o consentimento dos mesmos) e constui uma nova forma de violência, principalmente contra as mulheres. A pornografia de vingança geralmente ocorre após o fim de relacionamentos amorosos como forma de “vingar-se” do antigo parceiro.

Como evitar ser vítima desse tipo de crime cibernético?

A prática do sexting pode estar diretamente relacionada com os riscos de ser vítima de crimes como a pornografia de vingança. Por isso, é melhor tomar precauções e pensar bem antes de realizar práticas como essas, e ao mesmo tempo ter em conta algumas práticas de segurança:

  • Aplicar práticas comuns, como o bloqueio dos dispositivos.
  • Aplicar métodos para tornar anônima a origem do conteúdo, através de ferramentas que permitem apagar fotos ou vídeos.
  • Ser cuidadoso com relação a quem pode ter acesso ao dispositivo de forma física.
  • Evitar a exposição do rosto ou traços particulares que permitam a identificação da pessoa.
  • Rever os aplicativos e o software instalado no dispositivo que possam ter algum tipo de código malicioso que roube informações.
  • Conectar-se apenas desde redes protegidas.
  • Usar uma solução de segurança móvel que evite a infecção por códigos maliciosos que roubem informações.

Discussão