Gerenciador de senhas do Google ganha novos recursos

Os gerenciadores de senhas são fundamentais para melhorar a segurança de nossas contas na internet.

Os gerenciadores de senhas são fundamentais para melhorar a segurança de nossas contas na internet.

No fim do último mês de junho, o Google divulgou melhorias que serão aplicadas ao Google Password Manager; ou seja, seu atual gerenciador de senhas. Os novos recursos visam melhorar a experiência do usuário para que o uso da ferramenta se torna ainda mais fácil, mas também apontam a melhorias de segurança.

Os gerenciadores de senhas se tornaram uma ferramenta essencial para a nossa segurança no mundo digital, pois nos ajudam a atender aos requisitos mais importantes ao criar e gerenciar nossas senhas.

Por um lado, essas ferramentas nos permitem armazenar em um único lugar todas as senhas que usamos para acessar nossas contas e, por outro lado, nos permitem criar senhas fortes devido ao seu comprimento e ao uso de caracteres especiais, o que nos impede de cair em um erro comum: criar senhas fracas, priorizando que sejam fáceis de lembrar. Desta forma, ao usar senhas únicas e fortes, e tendo um lugar para armazená-las, evitamos cair em outro erro comum: a reutilização de senhas.

Embora existam diversas opções de gerenciadores de senhas disponíveis, alguns gratuitos e outros pagos, um dos mais populares é o gerenciador de senhas do Google, que recentemente anunciou uma série de atualizações para melhorar a usabilidade e a segurança da ferramenta.

Uma das mudanças é a unificação do Chrome com o app do Android, pois até agora o gerenciador de senhas só podia ser acessado a partir do navegador Chrome. Outra mudança que visa melhorar o uso e a adoção do gerenciador é a possibilidade de adicionar um ícone de acesso direto à ferramenta a partir da tela do smartphone, como pode ser visto a seguir.

Nova atualização inclui a possibilidade de criar um atalho na tela inicial do smartphone. Fonte: Google.

Outra mudança é a possibilidade de os usuários do iOS e de outros sistemas operacionais possam usar o Google Password Manager ao habilitar o Chrome como serviço responsável pela opção de preenchimento automático dos códigos de acesso.

Agora será possível usar o gerenciador de senhas do Google em outros sistemas operacionais. Fonte: Google.

Desta forma, os usuários de outros sistemas operacionais podem ter acesso as funções clássicas do gerenciador de senhas do Google, como a opção de criar senhas fortes e exclusivas, armazená-las e receber uma notificação de aviso cada vez que for detectada que uma das senhas inseridas foi identificada em um vazamento de dados.

Além disso, o gerenciador de senhas do Google permite uma revisão em massa de todas as senhas armazenadas na ferramenta para que seja possível verificar quais senhas foram detectadas em um vazamento de dados, quais estão sendo reutilizadas e quais são inseguras.

A opção de verificação de senhas permite saber quais senhas foram vazadas em um incidente de segurança, quais estão sendo reutilizadas e quais são fracas. Fonte: Google.

gerenciador de senhas e criar senhas fortes e únicas para cada serviço, também é importante conta com a autenticação em duas etapas em todas as contas e serviços que disponibilizam este recurso. Desta forma, se um atacante roubar nossos dados de login, esta camada adicional de verificação solicitará um código adicional que impedirá o atacante de acessar a conta.

Também é importante mencionar que, como analisamos há algum tempo, existe um certo risco ao armazenar senhas no gerenciador do Google, pois se um atacante conseguir acessar o computador de um usuário, poderá obter acesso ao gerenciador e a todas as senhas armazenadas. De fato, nos últimos meses foram reportadas várias ameaças com este objetivo. Portanto, além de usar um gerenciador de senhas, é também fundamental usar uma solução de segurança em todos os nossos dispositivos para que essas ameaças sejam detectadas e excluídas.

Cadastre-se para receber por e-mail todas as atualizações sobre novos artigos que publicamos em nossa seção referente à Crise na Ucrânia.

Newsletter

Discussão