Antimalware Day: a evolução do malware ao longo do tempo

Antimalware Day: a evolução do malware ao longo do tempo

Durante este mês, apresentaremos uma série de posts sobre a evolução do malware através do tempo.

Durante este mês, apresentaremos uma série de posts sobre a evolução do malware através do tempo.

Desde 2017, no dia 3 de novembro, celebramos o Antimalware Day. A data foi criada pela ESET com o propósito de destacar o trabalho realizado por pesquisadores no campo da segurança da informação e da indústria em geral. Além disso, a celebração desta data pretende ser uma ferramenta para lembrar a importância da proteção e da educação no campo da segurança, em um mundo onde a tecnologia desempenha um papel predominante e está presente em quase tudo que nos rodeia.

Desta vez, além de relembrar a origem do conceito de vírus de computador, analisamos qual foi a primeira ameaça ativa, o primeiro software antivírus e quais são os nomes de algumas das ameaças mais importantes das últimas quatro décadas.

A origem do Antimalware Day

A escolha da data também pretende homenagear aqueles que criaram o termo “vírus de computador“. São eles: Frederick Cohen, um estudante de engenharia da Califórnia, que em 1983 criou um código malicioso, e seu professor, Leonard Adleman, que decidiu batizar o código malicioso como vírus de computador. Em 1984, como parte desse trabalho, Cohen escreveu o artigo “Computer Viruses – Theory and Experiments”, que se tornou o primeiro trabalho de pesquisa no qual foi usado o termo vírus de computador.

Entretanto, antes de Adleman e Cohen começarem a usar o termo vírus de computador, outros estudiosos já haviam realizado testes ou desenvolvido programas maliciosos. Na realidade, nesse momento da história, não havia nenhuma forma de saber que outros especialistas estavam realizando experimentos dessa natureza, comentou Adleman em um entrevista realizada pela equipe do WeLiveSecurity.

Um dos primeiros malwares ativos, ou seja, que começou a ser utilizado fora do laboratório ou do computador em que foi criado, recebeu o nome de “Elk Cloner” e foi desenvolvido por Rich Skrenta em 1982. De acordo com um artigo publicado pelo NBC News, muitos consideram que este “vírus de computador” foi o primeiro vírus de computador real, considerando que se propagou em vários computadores de uso doméstico da época. “Elk Cloner” foi seguido por “Brain”, o primeiro vírus para PC IBM. Esse vírus infectou o setor de inicialização de disquetes, permitindo que a ameaça se propagasse em algumas semanas e, consequentemente, chegasse a várias partes do mundo. Além disso, “Brain” foi o primeiro vírus de computador que usou mecanismos de ocultação.

O malware e a origem da segurança

Naturalmente, toda essa atividade gerou a necessidade de medidas de proteção. Daí o surgimento da indústria da segurança, responsável pelo desenvolvimento de soluções para proteger os usuários. Embora não esteja claro qual foi o primeiro software antivírus da história, a empresa alemã GData Software recebeu o crédito pela criação da primeira solução antivírus, em 1987, com uma solução para a linha de computadores Atari ST. Além disso, o primeiro a neutralizar uma ameaça de computador ativa foi o pesquisador alemão e especialista em segurança, Bernd Fix, que em 1987 desenvolveu um programa para eliminar um vírus chamado Viena.

A história do malware e da indústria da segurança evoluíram até os dias de hoje. No meio dessa história surgiram ameaças que deixaram a sua impressão digital e marcaram época, como o worm Morris no final dos anos 80, Michelangelo nos anos 90, Loveletter também conhecido como Iloveyou em 2000, até o presente momento com ameaças que também fizeram história, como o WannaCryptor.

Ao longo deste mês, aproveitando duas datas importantes, como Antimalware Day e o Dia Internacional da Segurança de Computadores, celebrado em 30 de novembro, iremos publicar a cada segunda-feira um artigo com detalhes sobre as ameaças mais impactantes de cada década e que fazem parte da história da segurança.

Discussão