Copa do Mundo: seleções de vários países se preocupam com sua cibersegurança

Copa do Mundo: seleções de vários países se preocupam com sua cibersegurança

Várias seleções participantes da Copa do Mundo estão preocupadas com a questão da cibercriminalidade e tomam medidas para se proteger de possíveis ameaças que possam afetar os jogadores.

Várias seleções participantes da Copa do Mundo estão preocupadas com a questão da cibercriminalidade e tomam medidas para se proteger de possíveis ameaças que possam afetar os jogadores.

Várias seleções participantes da Copa do Mundo da Rússia-2018, estão tomando medidas para se proteger contra a cibercriminalidade durante os jogos e optam pela precaução, segundo informou a Agence France-Presse (AFP).

A Federação Australiana de Futebol, por exemplo, é uma das equipes que decidiram usar sua própria conexão de Internet móvel durante sua estadia na Rússia, com o objetivo de dificultar qualquer tentativa de acesso às informações contidas nos dispositivos de seus jogadores e do restante da delegação.

Além disso, os “socceroos”, como a seleção autraliana de futebol é conhecida, estão proibidos de se conectar às redes Wi-Fi que não são seguras e, por isso, obrigatoriamente devem se conectar a uma das VPNs instaladas em seus próprios routers 4G. De acordo com o responsável de imprensa da seleção australiana, os jogadores foram orientados a ter muito cuidado durante a estadia na Rússia e a não se conectar às redes wi-fi públicas.

Por outro lado, o responsável de imprensa da seleção da Croácia garantiu a AFP que estão preocupados com a segurança em geral e, portanto, a não compartilhar informações com nenhuma mídia ou público que não seja comunicada em uma conferência de imprensa.

Algumas delegações, preocupadas com a questão da segurança, aconselharam seus serviços de segurança nacional a tomar as precauções necessárias antes de chegar a Rússia.

A Inglaterra, por exemplo, consultou o Government Communications Headquarters (GCHQ) e decidiu equipar os smartphones dos jogadores, assim como outros dispositivos da delegação, com programas especiais de criptografia para a Copa do Mundo.

Da mesma forma, o líder da Agência Francesa de Segurança de Sistemas de Informação (ANSSI) comentou sobre as recomendações dadas para a seleção da França sobre as precauções que devem ser tomadas durante a estadia no país organizador, tais como não levar os dados profissionais, não deixar o celular no hotel e não se conectar a qualquer wi-fi.

Mas não apenas as delegações e os jogadores devem tomar as precauções necessárias. Os torcedores que visitam a Rússia também devem tomar medidas preventivas. Há alguns dias atrás, publicamos um artigo com algumas dicas para evitar ser vítima de golpes durante a Copa do Mundo.

O grupo de cibercriminosos Fancy Bear, por exemplo, vazou os e-mails do Comitê Olímpico Internacional (COI) em 2014, depois que a Rússia foi excluída, devido a casos de doping, dos Jogos Olímpicos de Inverno que foram realizados em Pieonchang. Um ataque como esse, que aponta a dados muito sensíveis, poderia ter um impacto significativo em termos de imagem” para a Federação Internacional de Futebol (FIFA), comentou Chris Hodson, responsável de segurança de sistemas de informação europeus em Zscaler, e especialista em cibersegurança.

Mas o principal alvo de ataque em um evento dessa natureza ainda continua sendo o público em geral. Essa afirmação foi confirmada em uma descoberta realizada pela empresa Check Point, especialista em cibersegurança, ao identificar uma campanha de phishing, propagada através de e-mails enviados para os usuários, que tentava roubar informações pessoais das vítimas tendo como isca um calendário de partidas posto à disposição dos internautas.

Além disso, também destacamos que os usuários devem ter bastante cuidado na hora de assistir aos jogos, pois vários sites “piratas”, que oferecem a possibilidade de assistir a jogos de futebol via streaming, contêm códigos maliciosos que podem comprometer seus dispositivos e informações.

Discussão