Wi-Fi ou cabo de rede: qual é a conexão mais rápida e segura?

Wi-Fi ou cabo de rede: qual é a conexão mais rápida e segura?

Embora, em teoria, o Wi-Fi ofereça uma maior capacidade de velocidade do que a conexão via cabo, a conexão Ethernet acaba sendo, na prática, a mais rápida e também a mais segura.

Embora, em teoria, o Wi-Fi ofereça uma maior capacidade de velocidade do que a conexão via cabo, a conexão Ethernet acaba sendo, na prática, a mais rápida e também a mais segura.

A era tecnológica em que estamos imersos nos leva, e em alguns casos até quase que nos obriga, a estar permanentemente conectados. Uma das consequências dessa conectividade da qual falamos é claramente percebida nas comunicações e em como temos nos acostumado à instantaneidade. Além disso, os usuários de tecnologia consideram natural obter as informações ou se comunicar com outra pessoa imediatamente.

Neste contexto, temos principalmente duas opções para se conectar à Internet, a primeira é sem fio através do Wi-Fi, a segunda através de um cabo de rede comumente conhecido como Ethernet. Em seguida, analisamos as duas opções para ver as diferenças entre ambas e, por sua vez, questionar a crença de que o cabo de rede é sempre a melhor opção.

A conexão com a Internet através de um cabo de rede é mais rápida?

Naturalmente, a chegada de conexões sem fio acabou sendo a salvação para muito problemas, pois nos permite manter o espaço físico mais organizado e evita a fiação múltipla entre todos os dispositivos conectados. Mas além da conveniência da conexão sem fio, pensar exclusivamente sobre a velocidade da conexão tem sido um debate bastante polêmico: a conexão por Wi-Fi é realmente mais rápida do que por cabo de rede?

Ao contrário do que muitos acreditam, o Wi-Fi oferece, em teoria, uma capacidade de velocidade maior do que a conexão por cabo. Embora existam muitos fatores (vamos mencionar apenas alguns neste post) que entram em jogo e que influenciam para que uma conexão possa ser mais rápida do que outra, considerando a saturação de canais e o grande número de conexões por padrão, o que torna instável e diminui a capacidade de transmissão de dados.

No eixo horizontal da imagem a seguir, o fenômeno de saturação do canal pode ser visto claramente.

Além de tudo isso, devemos ter em conta as estruturas fatoriais, como, por exemplo, paredes de concreto, piscinas e outros materiais de construção que causam perda de sinal e uma redução no desempenho que ameaça a velocidade da conexão Wi-Fi. Em geral, podemos dizer que quanto maior a frequência, maior é a taxa de absorção de paredes e pisos. Evidentemente, detectar essas pequenas variações, quase imperceptíveis, durante uma navegação simples é quase impossível. No entanto, essas diferenças no desempenho podem ser mais óbvias ao jogar jogos on-line, compartilhar arquivos na rede ou até mesmo reproduzir conteúdo ultraHD em streaming.

Em resumo, podemos dizer que, embora existam vários e diferentes padrões em cada tipo de conexão, geralmente isso é feito pelo cabo de rede e implementado corretamente, sendo mais rápido do que a conexão Wi-Fi. Quando olhamos para as capacidades de cada protocolo, como o padrão 802.11ac, devemos entender que são velocidades máximas teóricas de 6,5 Gbps (superiores à Ethernet 2,5 a 6 Gbps), mas que na maioria dos casos não podem explorar todo o seu potencial porque são afetados pelos obstáculos discutidos acima. Por outro lado, as conexões via Ethernet possuem um desempenho mais estável, pois não são afetadas por esses agentes ou outros fatores externos. Finalmente, vale a pena notar que há cerca de dois anos foi lançado o protocolo Ethernet Cat.8, que não é muito comum vê-lo implementado devido aos seus altos custos, mas que oferece velocidades muito altas que chegam a 40 Gbps.

Conectar-se à Internet via Ethernet é mais seguro que por Wi-Fi

Se pensarmos em termos de segurança nas comunicações, a batalha pelas conexões sem fio será perdida se as compararmos com a Ethernet. Existem vários tipos de ataques que podem ser executados remotamente, tanto para desabilitar um dispositivo quanto para quebrar a chave de criptografia e entrar na rede. Além disso, no ano passado, testemunhamos vulnerabilidades como Krack, que afeta um dos protocolos mais robustos e usados ​​como o WPA2 e que foi provavelmente a causa que levou ao desenvolvimento do WPA3 (que ainda não foi implementado). Por outro lado, com maior ou menor grau de sucesso, um cibercriminoso também pode bloquear esse tipo de comunicação sem fio através dos famosos jammers ou inibidores de sinal.

Por último, outro ataque muito comum é aquele que usa os pontos de acesso falsos e permite que a vítima se conecte automaticamente ao dispositivo do invasor para espionar o tráfego e roubar seus dados. Claro, esses ataques são impossíveis de fazer remotamente através de uma rede Ethernet, uma vez que eles só poderiam ser feitos se você tivesse acesso físico. Por isso, as conexões a cabo são mais seguras do que as comunicações sem fio, ou seja, há menos risco de incidentes.

Então, mais cabos e menos Wi-Fi?

Depois de chegar aqui, você pode estar pensando em atualizar a arquitetura da sua rede e conectar tudo através da Ethernet. Naturalmente, dispositivos como smartwach, tablets, telefones celulares ou lâmpadas inteligentes são deixados de fora dessa opção.

Como conclusão, é lógico que a melhor maneira de transferir arquivos em velocidade máxima entre dispositivos é o cabo de rede Ethernet. É importante esclarecer que a velocidade que contratamos para acessar a Internet através do nosso ISP, neste caso, não tem qualquer impacto.

Obviamente, a mobilidade marcará as necessidades em conjunto com as portas disponíveis no seu roteador. Se você trabalha com um notebook e está constantemente mudando para a cobertura Wi-Fi, talvez possa estar limitado a um cabo que te obriga a estar no mesmo espaço físico. No caso dos PCs é diferente, porque, embora possam ter uma placa sem fio, isso só é recomendado quando você não tem permissão para conectar o cabo de rede Ethernet ao dispositivo. Para unidades de rede compartilhadas ou Media Player, as conexões por cabo também são recomendadas.

Apesar do sonho de não usar mais cabos para os dispositivos já ser algo possível, em muitos casos, para os amantes da velocidade, não é a melhor opção. Portanto, será uma questão de priorizar preferências.

Discussão