8 perguntas que devem ser feitas antes de comprar uma câmera de segurança

Cada novo dispositivo inteligente pode representar um risco para a sua privacidade e segurança. Então, o que é necessário ter em conta na hora de instalar uma câmera de segurança em casa?

Cada novo dispositivo inteligente pode representar um risco para a sua privacidade e segurança. Então, o que é necessário ter em conta na hora de instalar uma câmera de segurança em casa?

As câmeras de segurança já foram um privilégio apenas de ricos e famosos. No entanto, graças ao avança da tecnologia, qualquer pessoa pode ter acesso a uma. O advento da Internet das Coisas (IoT) criou um novo e importante mercado para os fabricantes de dispositivos como campainhas e monitores de bebês conectados, e sistemas mais sofisticados para qualquer casa. Conectados a redes Wi-Fi, estes dispositivos permitem que as pessoas possam ter acesso a imagens de vídeo ao vivo, gravá-las e até mesmo receber alertas quando estiverem fora de casa.

Entretanto, estes mesmos recursos também podem expor as residências a novos riscos se a câmera for comprometida e/ou se as imagens forem vazadas. E nem todos os fabricantes se enfocam tanto na segurança e privacidade quanto deveriam. Ou seja, é fundamental ter em conta algumas perguntas antes de comprar e instalar uma câmera de segurança. Separamos alguns exemplos de aspectos que devem ser questionados:

1. Eu realmente preciso de uma câmera de segurança?

Decida se uma câmera de segurança é realmente necessária ou se você está apenas interessado em obter uma já que muitas pessoas estão comprando este tipo de dispositivo. Parte deste processo decisório pode envolver a avaliação do tipo de configuração a ser adquirido: se você precisa de um sistema de CFTV completo que requer instalação profissional, ou uma câmera conectada mais barata que pode ser configurada rapidamente e controlada através de um aplicativo no seu smartphone.

2. Estou realmente ciente dos riscos de segurança e privacidade?

Esta pergunta é fundamental. Embora as câmeras de segurança sejam destinadas a proteger casas, adquirir este tipo de dispositivo pode, na verdade, significar inadvertidamente expor a sua casa a um grande risco.

No pior dos casos, cibercriminosos poderão acessar as suas transmissões ao vivo para espionar membros de sua família ou investigar a sua casa para verificar se ela está vazia e qual é a movimentação no dia a dia. Ambas as situações podem ser constrangedoras, especialmente porque nem sempre se tem consciência de que isto está acontecendo.

Cibercriminosos podem ter acesso a transmissões de câmeras de segurança através de sua rede Wi-Fi, talvez descobrindo a senha de sua rede. Entretanto, o mais comum é que ocorram ataques nos quais é possível obter senhas de contas ou explorar uma vulnerabilidade de firmware que não tenha sido corrigida.

3. Qual é a reputação do fabricante em relação à segurança?

Com tantos modelos no mercado, compensa pesquisar a gama e a reputação de diferentes fabricantes. Se você leva a sério os aspectos de segurança, vai optar por uma marca respeitável com um forte histórico de produção de produtos confiáveis e com boas classificações de segurança e privacidade para o consumidor. Aspectos como correção de vulnerabilidades, criptografia adequada, segurança no login e políticas de privacidade são muito importantes.

E se for necessário que os engenheiros instalem um sistema, qual tipo de acesso é concedido? Um técnico de segurança nos EUA conseguiu espionar centenas de casas durante um período de quatro anos e meio após adicionar seu endereço de e-mail ao processo de instalação dos dispositivos.

4. Eu sei exatamente o que acontece com as imagens e os dados?

Outro elemento de risco que está relacionado com o próprio fabricante. Você sabe se os dados de vídeo são armazenados de forma local ou no centro de dados em nuvem do fabricante?

Em seu último relatório de transparência, a Ring, da Amazon, alegou ter entregue um volume sem precedentes de registros de seus clientes às autoridades americanas no ano passado, inclusive em alguns casos sem o consentimento do dono do dispositivo. Muitos proprietários de câmeras podem se sentir desconfortáveis com estas políticas. Em resposta, a Ring emitiu o seguinte comunicado:

Comunicado da Ring (2 de novembro de 2022)

Acesso da polícia aos vídeos da Ring + Pedidos de emergência da polícia

  • A Ring não dá à polícia acesso às câmeras dos usuários, aos dispositivos, à localização dos dispositivos ou às transmissões ao vivo.
  • Se um cliente quiser compartilhar o vídeo com as autoridades policiais, deve ter um plano Ring Protect, baixar e compartilhar as gravações diretamente. Os clientes têm controle total sobre as informações que escolhem compartilhar.
  • Como qualquer outra empresa, a Ring pode receber solicitações legais, tais como ordens judiciais, que analisamos cuidadosamente. As Diretrizes de Aplicação da Lei da Ring descrevem nosso processo de recebimento e processamento de solicitações de informações solicitadas por órgãos legais.
  • As solicitações de emergência não são comuns e cada uma delas é minuciosamente examinada por especialistas treinados da equipe jurídica. Estabelecemos exigências nestas situações, e só permitimos essas exceções quando o tempo é essencial e os órgãos legais ou policiais estabelecendo que se trata de uma situação de ameaça imediata.

5. Eu realmente sei como proteger uma câmera de segurança?

Uma vez que você esteja ciente dos principais riscos de segurança e privacidade, vale a pena se familiarizar com o que é necessário para garantir que seu dispositivo funcione com segurança. As senhas de fábrica devem ser sempre alteradas para uma única e forte. Para otimizar ainda mais a segurança do seu dispositivo, use autenticação de dois fatores sempre que disponível.

Além disso, o dispositivo deve ser atualizado regularmente com o firmware mais recente. Escolha um fornecedor conhecido e confiável com um histórico de fabricação de dispositivos devidamente protegidos e com atualizações de firmware. A desativação da visualização remota das gravações de vídeo proporciona tranquilidade extra e minimiza as chances de um cibercriminoso ter acesso a elas.

6. Sei como ajustar as configurações para uma casa inteligente?

Não se trata apenas da configuração da câmera em si. O roteador é a porta de entrada para a casa inteligente e pode ser uma fonte de risco de segurança se não for configurado corretamente.

As funções UPnP e encaminhamento de portas, que permitem que os dispositivos encontrem outros dispositivos na mesma rede, podem ser sequestrados por cibercriminosos para acessar câmeras inteligentes. É por isso que essas funções devem ser desativados no roteador, embora isso possa impedir que alguns aplicativos e dispositivos funcionem.

7. Como posso saber se a minha câmera foi invadida?

Como mencionado anteriormente, pode ser complexo identificar se uma câmera de segurança foi invadida por cibercriminosos. Dois pontos que podem ser observados são se a câmera faz movimentos anormais ou vozes estranhas estão saindo dela. Se de repente você não conseguir entrar porque sua senha de conta foi alterada – isso também não é um bom sinal.

Outro possibilidade é o aumento do uso de dados ou o mau desempenho. Se um usuário não autorizado acessar o dispositivo, a câmera pode funcionar mais lentamente devido à memória limitada e à potência da CPU. Entretanto, isto não é algo infalível: também pode ser o resultado de algo mais cotidiano, como uma má conexão de internet.

8. Estou consciente do impacto sobre as outras pessoas?

Adquirir uma câmera de segurança não se trata apenas de sua própria segurança e privacidade. De fato, adquirir esse tipo de dispositivo pode ter um impacto nos direitos de seus vizinhos se a câmera capta imagens de pessoas fora dos limites de sua propriedade. O ideal é posicionar as câmeras de forma a minimizar qualquer intrusão e ser o mais transparente possível com os vizinhos.

Você deve considerar vários aspectos antes de comprar uma câmera de segurança para a sua casa. E, como em qualquer compra, pesquisa bastante antes de tomar uma decisão.

Cadastre-se para receber por e-mail todas as atualizações sobre novos artigos que publicamos em nossa seção referente à Crise na Ucrânia.

Newsletter

Discussão