As piores e mais inseguras senhas usadas no Brasil em 2022

Segundo relatório produzido pela NordPass, senhas como "123456", “Brasil” e "123456789" são as três mais usadas por internautas no Brasil.

Segundo relatório produzido pela NordPass, senhas como “123456”, “Brasil” e “123456789” são as três mais usadas por internautas no Brasil.

Assim como ocorre todos os anos, a NordPass publicou mais uma edição do relatório sobre as senhas mais usadas por internautas em todo o mundo. O relatório inclui uma lista das senhas mais populares em determinados países, incluindo o Brasil, o Chile, a Colômbia, a Espanha e o México.

Os dados nos dão uma visão do nível atual de maturidade dos usuários em um aspecto muito sensível da segurança da informação: as senhas. De acordo com o relatório deste ano, infelizmente muitas pessoas continuam escolhendo senhas fracas, previsíveis e fáceis de adivinhar para proteger suas contas de e-mail, redes sociais ou outros serviços on-line.

123456: a senha mais usada no Brasil

Desta vez, assim como ocorreu no ano passado, “123456” continua sendo a senha mais usada por internautas no Brasil.

A lista produzida pela NordPass com as 200 senhas mais comuns no Brasil é baseada na análise de um banco de dados de 3TB que contém senhas que foram expostas em incidentes de segurança. Estas informações foram compiladas em colaboração com pesquisadores independentes especializados em investigações de incidentes.

Como pode ser visto na imagem a seguir, a tabela é classificada de acordo com o número de vezes que a mesma chave foi usada, incluindo o número de vezes que ela esteve presente no banco de dados, e o tempo que levaria para que ela fosse descriptografada através de um ataque de força bruta.

Senhas mais usadas no Brasil em 2022. Fonte: NordPass.

Senhas usadas a nível global

Como destacamos, o relatório também inclui dados de alguns países específicos que podem ser de interesse para nossos leitores. Como podemos ver na tabela a seguir, em todos os cinco países a senha mais usada se repete: 123456. Além disso, além de algumas variações na lista de cada país, uma coisa que é facilmente perceptível é o número de variantes do “123456”. Isto também pode ser observado a nível global.

PosiçãoBrasilChileColômbiaMéxicoEspanha
1123456123456123456123456123456
2Brasil123456789password110110jp123456789
312345678912345678123456789123456789swing
4123451234512345678america112345
5123456781234123451234512345678
610203012345678901234123456781234
7smart2020110110jp1234567Temporal20201234567890
8mastercatalina1234567890password0
91234colocolo543211234password
10123valentinaguest12345671234567

Outra informação interessante incluída neste relatório é uma classificação das senhas mais populares em categorias como esportes, nomes de artistas ou grupos musicais, comida, videogames, filmes ou carros, entre outras. Isso mostra um padrão que as pessoas normalmente seguem ao escolher uma senha para que sejam fáceis de lembrar. No entanto, isto faz com que essas senhas seja mais previsíveis, principalmente em ataques automatizados de força bruta nos quais os cibercriminosos utilizam um software para tentar diversas combinações de endereços de e-mail e senhas em segundos.

Senhas que usam o nome de um artista. Fonte: NordPass.

Senhas que usam o nome de um time esportivo. Fonte: NordPass.

Senhas que usam o nome de um filme. Fonte: NordPass.

Os resultados mostram que ainda é fundamental aumentar a conscientização sobre a importância de criar senhas longas, difíceis de prever e únicas para cada conta ou serviço on-line. Além disso, as pessoas devem estar cientes de que tudo isso pode ser possível através de um gerenciador de senhas em computadores, tablets ou smartphones, já que estes serviços podem auxiliar em todas essas necessidades na hora de criar e administrar senhas. Além disso, não podemos esquecer a importância de ativar a autenticação em duas etapas em todos os serviços on-line – desta forma, a segurança de suas contas não dependerá apenas de uma senha.

Cadastre-se para receber por e-mail todas as atualizações sobre novos artigos que publicamos em nossa seção referente à Crise na Ucrânia.

Newsletter

Discussão