Exit Scam: criminosos atraem investidores e fogem com o dinheiro

Explicamos o que é o Exit Scam, também conhecido como golpe de saída, e destacamos os casos que mais impactaram a comunidade cripto.

Explicamos o que é o Exit Scam, também conhecido como golpe de saída, e destacamos os casos que mais impactaram a comunidade cripto.

O ecossistema cripto deu lugar a uma grande quantidade de golpes, o que fez com que os usuários passassem a estar mais atentos. Desta vez, vamos explicar uma forma de fraude conhecida como exit scam, ou também como golpe de saída, que ocorre quando os golpistas desaparecem com o dinheiro dos investidores. Um dos casos mais relevantes ocorreu em 2017, quando a startup Confido desapareceu após arrecadar cerca de US$ 375 mil (aproximadamente R$ 1,2 milhão) dos investidores.

O que é o golpe do Exit Scam?

O exit scam começa quando os golpistas criam um fundo de investimento ou lançam o que é conhecido como Initial Coin Offer (ICO), que é uma oferta inicial criada para atrair investidores para um novo projeto. O objetivo dos criminosos é atrair rapidamente a atenção dos investidores até que o fundo atinja um determinado valor em ativos. Em seguida, inesperadamente, encerram as operações e desaparecem da rede com o dinheiro dos investidores. Em outras palavras, o objetivo deste tipo de golpe é criar um falso projeto de criptoavitos com alguma característica que o torna atraente no mercado; por exemplo, uma alta rentabilidade. Desta forma, os criminosos tentam transmitir confiança para que as pessoas decidam investir no projeto, mas o que as vítimas não sabem é que a real intenção é ficar com todo o dinheiro dos investidores sem deixar nenhum rastro que permita identificá-los.

Principais casos de Exit Scam

#Caso Confido

No final de 2017, os cibercriminosos por trás de uma falsa startup chamada Confido desapareceram com o dinheiro dos investidores. A Confido era um aplicativo supostamente baseado em blockchain para fazer pagamentos e rastrear transferências de dinheiro. As pessoas por trás da empresa lançaram tokens para a venda através de uma oferta de inversão inicial e prometeram que por cada um dos tokens investidos no projeto as pessoas receberiam 1 ETH. Desta forma, as pessoas por trás desta suposta startup arrecadaram aproximadamente 374 mil dólares em dois dias. Em seguida, fecharam suas contas e o site web e desapareceram com o dinheiro.

#Caso Coinroom

Em maio de 2019, uma Exchange polaca de criptomoedas chamada Coinroom tirou do ar o seu site e suas operações e os responsáveis pelo projeto desapareceram com os fundos de seus clientes. Neste caso, a Coinroom iniciou suas atividades em 2016 e somente em 2019 encerrou todas as suas operações. Embora não esteja claro quanto foi roubado, algumas vítimas perderam mais de 15 mil dólares.

#Caso Africrypt

Africypt era uma plataforma de investimento em critptomoedas com sede na África do Sul criada em 2019. Os principais desenvolvedores da plataforma foram os irmãos Ameer e Raees Cajee, que em 2021 desapareceram com cerca de 3,8 bilhões em Bitcoin. No início daquele ano, os irmãos notificaram seus clientes que sua plataforma havia sido “atacada” e que eles estavam lentamente recuperando a operação do negócio.  Além de pedir a seus clientes que não entrassem em pânico, eles pediram que não houvesse a denúncia do roubo às autoridades, pois isso dificultaria os esforços de recuperação do incidente. Este foi o maior roubo de criptomoedas da história. Este golpe é considerado como uma das maiores fraudes de lavagem de dinheiro realizada por cibercriminosos. Até o momento, não foi possível saber o paradeiro dos irmãos Cajee.

De acordo com as autoridades, os fundos transferidos pelos irmãos Cajee passaram por mixer de criptomoedas para dificultar a rastreabilidade das moedas digitais.

Como reconhecer um caso de Exit Scam?

Se há uma coisa que os cibercriminosos sabem fazer, é persuadir as pessoas a caírem em seus golpes. Por isso, separamos alguns pontos que devem ser levados em conta ao investir nestes em fundos:

  • Rentabilidade exorbitante: a maneira mais comum de convencer os investidores é oferecer uma alta rentabilidade: grandes lucros em um curto período de tempo. Entretanto, como sempre destacamos, se é bom demais para ser verdade, provavelmente se trata de um golpe.
  • Pesquise o projeto: pesquisar a equipe por trás de um projeto é importante. Por exemplo, você pode pesquisar seus perfis no LinkedIn para detectar quaisquer inconsistências.
  • Avalie o modelo de trabalho: pesquise e entenda como é o modelo de trabalho e porque o projeto promete uma alta rentabilidade. Existe documentação para que você analise a proposta? Descubra se é um modelo que faz sentido ou se é apenas um modelo básico.
  • Leia o white paper: cada projeto de criptoativos geralmente conta com um white paper que explica em detalhes o design e o projeto de criptomoedas. Além disso, estes documentos geralmente incluem uma projeção que garante que o modelo de negócios realmente poderá gerar receita. White Papers que são inconsistentes e não fornecem uma boa estrutura teórica provavelmente sejam um exit scam.
  • Ofertas e publicidade: em geral, os cibercriminosos que criam este tipo de golpe sabem que, para atrair um grande número de investidores, eles precisam de publicidade, por isso investem muito nisto. Em alguns casos, eles até mesmo pagam a pessoas influentes para promocionar seu fundo de investimento. Por isso, é fundamental questionar cada detalhe antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Cadastre-se para receber por e-mail todas as atualizações sobre novos artigos que publicamos em nossa seção referente à Crise na Ucrânia.

Newsletter

Discussão