Denúncias de roubo de identidade aumentaram durante a pandemia

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos recebeu 1,4 milhão de denúncias de roubo de identidade em 2020 - o dobro de casos em comparação com 2019.

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos recebeu 1,4 milhão de denúncias de roubo de identidade em 2020 – o dobro de casos em comparação com 2019.

De acordo com a Comissão Federal de Comércio (FTC, sigla em inglês), o número de denúncias relacionadas com o roubo de identidade nos Estados Unidos (EUA) dobrou em 2020 em comparação com 2019. Em uma publicação que marca o início da Semana de Conscientização sobre Roubo de Identidade nos EUA, a FTC destaca que recebeu aproximadamente 1,4 milhão de denúncias de roubo de identidade no ano passado. O aumento de casos é impulsionado principalmente por cibercriminosos que visam pessoas que foram financeiramente afetadas pela pandemia de Covid-19.

“Em 2020, o pico das denúncias por roubo de identidade à FTC coincide com a queda nacional do emprego nos EUA. Depois que o governo autorizou os auxílios emergenciais para as pessoas que ficaram desempregadas pela pandemia, os cibercriminosos se inscreveram para receber esse benefício usando as informações de outras pessoas”, destacou Seena Gressin, advogada da Divisão de Educação para Consumidores e Negócios da FTC.

No ano passado, a comissão recebeu 394.280 relatórios de fraudes relacionadas com o auxílio emergência do governo dos EUA, um aumento acentuado em relação aos 12.900 relatórios de 2019. A maioria dos casos de roubo de identidade envolvem golpistas que se cadastraram para receber benefícios voltados para desempregados em nome das vítimas.

Os beneficiários do auxílio não foram as únicas vítimas dos ladrões de identidade. A FTC também recebeu relatórios de roubo de identidade de pessoas cujos dados comerciais ou pessoais foram usados ​​por golpistas para solicitar empréstimos em programas de crédito impulsionados pelo governo para pequenas empresas. Em 2020, as denúncias de fraude relacionadas a empréstimos pessoais ou empresariais mais que dobraram em relação ao ano anterior, passando de 43.920 para 99.650 denúncias. No entanto, a comissão foi rápida em apontar que nem todos os novos relatórios estavam ligados ao esforço de ajuda do governo, embora eles representassem uma parte considerável do aumento nos casos denunciados.

O roubo de identidade também foi usado por cibercriminosos como meio de obter acesso a pagamentos de estímulo federais emitidos pelo Serviço de Receita Interna dos Estados Unidos (IRS, sigla em inglês) para residentes nos EUA. Os casos foram denunciados à FTC como incidentes de roubo de identidade fiscal. O número de relatórios mais que triplicou ano a ano, com a FTC recebendo 89.390 relatórios em 2020, um aumento em relação aos 27.450 do ano anterior.

“Embora muitas das denúncias tratassem de outros tipos de roubo de identidade fiscal, os números de casos começaram a aumentar no início da distribuição dos pagamentos de estímulo federal”, escreveu Gressin.

O roubo de identidade fiscal provou ser um problema constante com o qual o IRS tem lidado, especialmente durante a temporada de impostos, inclusive devido a cibercriminosos que cometem fraude de reembolso de impostos mediante a apresentação de impostos em nome da vítima. Em dezembro de 2020, o IRS expandiu seu programa de proteção de identidade para todos os contribuintes elegíveis dos EUA na tentativa de combater vários golpes fiscais.

Newsletter

Discussão