3 coisas que você deve falar com seus filhos sobre as redes sociais | WeLiveSecurity

3 coisas que você deve falar com seus filhos sobre as redes sociais

Confira três aspectos chave que podem ser fundamentais para falar com as crianças antes do primeiro contato com as redes sociais.

Confira três aspectos chave que podem ser fundamentais para falar com as crianças antes do primeiro contato com as redes sociais.

Considerando que a tecnologia permeou todas as facetas da vida, as redes sociais se tornaram uma parte diária dela. Mas os adultos não são os únicos que vão às redes sociais – as crianças também. De fato, as crianças contam com redes sociais projetadas para elas, através das quais podem começar sua aventura. Geralmente, essas redes sociais são comercializadas como espaços moderadamente seguros, onde as crianças podem interagir, enquanto os pais supervisionam suas atividades. Até o Facebook introduziu uma versão para crianças do seu aplicativo de mensagens.

No entanto, esses são espaços moderados e seguros que as crianças eventualmente abandonarão quando atingirem uma certa idade. Então, o que os pais podem fazer para que essa transição de seus filhos para as redes sociais mais centradas em adultos ocorra da forma mais segura possível? Analisamos alguns pontos que podem ser úteis para pais e mães discutirem com seus filhos antes de ingressarem no Facebook, Instagram, TikTok ou outras redes sociais.

Tem certeza de que deseja compartilhar isso?

O que acontece na Internet permanece na Internet – um mantra quase tão antigo quanto a própria rede. Isso é algo que a maioria dos adultos tende a esquecer, embora seja um aspecto fundamental para se ter em mente na hora de compartilhar algo na Internet. Esse mesmo mantra deve ser transmitido a meninas e meninos que se unirão às redes sociais para adultos.

Se eles quiserem publicar ou compartilhar algo, devem sempre pensar em como isso se refletirá no futuro. Embora possa ser difícil discutir esse tópico com os adolescentes, é importante. Uma boa regra geral para aprovar antes de postar qualquer coisa é se perguntar o que um parente mais velho (um avô, por exemplo) diria se visse o conteúdo.

Talvez outro exemplo que possa ser usado para trabalhar sobre essa ideia seja falar sobre como uma indiscrição durante a juventude pode se voltar contra a própria pessoa e se tornar um fardo, invalidando até mesmo futuras opções de carreira profissional ou acadêmica. Infelizmente, existem muitos exemplos de como tweets, postagens em fóruns e até mesmo comentários de fotos foram trazidos do passado para assombrar personalidades públicas como artistas, talentos do mundo esportivo, artístico, etc.

Você realmente conhece essa pessoa?

“Não fale com estranhos” é talvez uma das frases que uma criança ouve com mais frequência durante a infância. O assunto é abordado não apenas pelos pais, mas também pelos professores, através de publicidades, shows infantis, entre outros. Portanto, embora a maioria dos adolescentes considere que as redes sociais são mais seguras por estarem on-line e, portanto, essa regra “não conta”, os pais devem comunicar claramente que os riscos são os mesmos e, em alguns casos, casos podem até ser piores.

Infelizmente, você pode ilustrar os riscos usando inúmeros exemplos de histórias que envolvem adolescentes que foram vítimas de grooming por assediadores de forma on-line. Para reforçar essa ideia, existem vários filmes e séries que abordam o tema da interação com estranhos pela Internet. Como diz um velho ditado popular: “é melhor ver algo uma vez do que ouvir falar mil vezes”. Black Mirror é uma daquelas séries que tratam do tema considerando o lado sombrio da tecnologia e da vida conectada, embora seja uma ficção científica.

Configurações de privacidade

Quando os adultos se cadastram em uma rede social, dificilmente revisam suas configurações de privacidade; portanto, não se pode esperar que os adolescentes sejam mais meticulosos, mesmo que tenham nascido em um mundo conectado. Outro aspecto a ser observado é que as redes sociais atualizam continuamente suas configurações de privacidade e segurança para acompanhar o maior pleito do público em geral e dos governos. Portanto, incutir nos adolescentes um senso de responsabilidade pela forma como seus dados são tratados e visualizados é muito importante.

Algumas redes sociais começaram a introduzir ferramentas que permitem ao usuário revisar as configurações de privacidade em sua conta. O Facebook, por exemplo, oferece a “verificação rápida da privacidade”. Essa ferramenta permite visualizar o perfil do usuário através dos olhos de diferentes tipos de espectadores, de amigos a estranhos, para que seja possível escolher com mais facilidade o que deseja compartilhar e com quem. Outra opção é auditar quem pode ver suas postagens anteriores e futuras.

Considerações finais

Criar a un niño o niña en un mundo cada vez más digitalizado puede suponer un gran desafío, especialmente porque los tiempos han cambiado y muchas de las opciones y tecnologías no existían cuando los adultos tenían la edad de sus hijos. Sin embargo, es importante afrontar estos desafíos y preparar a los más pequeños para que tengan las herramientas suficientes para enfrentar y a la vez disfrutar tanto el mundo digital como el real, ya que están profundamente entrelazados. Al hablar con sus hijos sobre los riesgos y las trampas existentes en las redes sociales y cómo manejarlos responsablemente, los estará protegiendo y preparando mejor para la edad adulta al asegurarse de que estarán más atentos cuando realicen actividades en línea.

Criar uma criança em um mundo cada vez mais digitalizado pode ser desafiador, especialmente porque os tempos mudaram e muitas das opções e tecnologias não existiam quando os adultos tinham a idade de seus filhos. No entanto, é importante enfrentar esses desafios e preparar as crianças para que contem com ferramentas suficientes para enfrentar e aproveitar o mundo digital e o mundo real, pois estão profundamente entrelaçados. Conversando com seus filhos sobre os riscos e as armadilhas presentes nas redes sociais.

Leia também:

Newsletter

Discussão