46% dos usuários acham que as empresas devem informar como se proteger contra falhas de segurança

46% dos usuários acham que as empresas devem informar como se proteger contra falhas de segurança

Esse dado surgiu em uma pesquisa que realizamos para conhecer melhor os hábitos e as opiniões dos usuários sobre segurança e privacidade nas redes sociais.

Esse dado surgiu em uma pesquisa que realizamos para conhecer melhor os hábitos e as opiniões dos usuários sobre segurança e privacidade nas redes sociais.

Aproveitando a comemoração do Dia Mundial da Rede Social, que é comemorado em 30 de junho, perguntamos para os nossos usuários sobre como eles se relacionam com as redes sociais e, principalmente, como gerenciam a privacidade e a segurança das informações que compartilham.

Se considerarmos que o número atual de usuários nas redes sociais é superior a 3.196 bilhões, de acordo com dados do WeAreSocial, é essencial que os internautas aprendam a gerenciar sua segurança nessas plataformas. Especialmente porque, como destacamos anteriormente no artigo sobre como a superexposição em redes sociais pode trazer problemas, as redes sociais se tornaram um terreno ideal para os cibercriminosos.

Quando ocorreu o caso do Facebook e o vazamento de dados como resultado de um aplicativo instalado por muitos usuários e ao qual foi concedida permissão para obter essas informações, destacamos que os usuários são os principais responsáveis ​​por proteger suas informações pessoais e que o primeiro passo para estar mais protegido é ser consciente do valor das suas informações. Apesar de muitos usuários, por engano, acharem que suas informações não têm qualquer valor para outras pessoas, fazendo desse raciocínio o principal motivo pelo qual os internautas não cuidam de sua privacidade de forma adequada.

A pesquisa que realizamos confirma parte do que destacamos: quase 70% dos usuários não lêem, ou lêem às vezes, a política de privacidade de uma rede social quando criam uma conta. No entanto, 1 de 4 participantes da pesquisa afirmaram ter sido vítimas ou conhecer alguém que foi vítima do vazamento de dados pessoais através do Facebook.

Obviamente, a educação em segurança ainda é fundamental para evitar que cada vez mais usuários sejam vítimas de golpes ou vazamentos de dados nas redes sociais.

Confira os dados mais relevantes deixados pela pesquisa sobre privacidade nas redes sociais:

Discussão