Tecnologia 5G: a próxima geração de conectividade móvel

Tecnologia 5G: a próxima geração de conectividade móvel

A tecnologia 5G foi um dos assuntos mais importantes durante a edição de 2018 do Mobile World Congress. Saiba mais sobre essa novidade.

A tecnologia 5G foi um dos assuntos mais importantes durante a edição de 2018 do Mobile World Congress. Saiba mais sobre essa novidade.

Todos os anos, o Mobile World Congress (MWC) é realizado em Barcelona, ​​na Espanha. É um evento que reúne quase todas as marcas relacionadas à indústria de dispositivos móveis para apresentar suas últimas novidades em gadgets, aplicativos e serviços para este mundo conectado em que vivemos.

Nesta edição de 2018 do MWC que terminou em 1 de março, um dos tópicos mais importantes foi a tecnologia 5G – a próxima geração de conectividade móvel.

O que é 5G e como isso nos afetará?

Se olharmos para trás sobre a chegada das anteriores redes móveis, como 1G, 2G e outras, podemos ver mudanças significativas a nível tecnológico. A próxima geração, 5G, oferece uma velocidade melhor e menor latência, mas também a vantagem de permitir que vários dispositivos sejam conectados simultaneamente. Este é um dos motivos que explica por que o MWC passou de um evento que promove fabricantes de smartphones e operadores para se tornar uma reunião de empresas demonstrando como dispositivos conectados globalmente poderiam se beneficiar de uma rede 5G.

A realidade é que nenhuma das tecnologias existentes desaparecerá em um curto prazo. Na verdade, a velocidade máxima que pode ser alcançada em uma rede atual é de até 1,2 Gbps. Portanto, pedir um representante de vendas em uma loja que comercializa celulares sobre um novo dispositivo que suporte uma rede 5G apenas fará com que eles se perguntem sobre o que estão falando.

A infraestrutura atual para o uso do 4G é baseada em torres e antenas de células localizadas em determinadas distâncias umas das outras, enquanto a tecnologia 5G é baseada em células menores e mais frequentes. As células mais pequenas ajudam a fornecer a banda larga adicional com uma menor latência à medida que a rede é distribuída. Segundo relatos, as velocidades podem atingir 20Gbps com apenas 1 ms de latência.

Qualquer nova rede requer licenças, fundos e esforços significativos para serem apresentadas. Nos Estados Unidos, a AT&T diz que será a primeira empresa com um sinal 5G voltado para o mercado de telefonia móvel e que até o final de 2018 cobrirá um total de 12 cidades. Por sua vez, a empresa Verizon, com uma abordagem diferente, pretende implementar a tecnologia 5G para competir com os provedores de serviços de Internet domésticos existentes e com a velocidade e a capacidade disponíveis em uma rede 5G, isso pode ser uma oferta muito competitiva.

Muitas salas de exposição do Mobile World Congress possuíam dispositivos projetados para cidades inteligentes, veículos sem motorista, entre muitas outras coisas.

Embora as velocidades mais elevadas sejam o resultado do aperfeiçoamento tecnológico, é a baixa latência e a capacidade que permitirá que essas tecnologias nos levem a um mundo no qual praticamente tudo está conectado. A necessidade de capacidade será um problema uma vez que os diferentes dispositivos comessem a se comunicar entre si. Por exemplo, no futuro, os veículos sem motoristas terão a capacidade de se comunicar com outros carros, monitorar o tráfego ou detectar sensores nas estradas e tomar decisões com base em informações provenientes do ambiente que os rodeia.

Embora em 2018 possamos encontrar alguns smartphones com tecnologia 5G em alguma loja, devemos esperar que os fornecedores os ofereçam a partir de 2019.

O lançamento da tecnologia 5G está se movendo mais rapidamente em algumas regiões do que em outras, como vimos, alguns provedores de telefonia nos Estados Unidos já detectaram uma vantagem competitiva e anunciaram seus planos. Outros países que se comprometeram abertamente a adotar a rede 5G foram a China, o Japão, a Coréia do Sul, a Austrália e a Noruega – embora essa lista continue crescendo. Na Europa, o compromisso desde o ponto de vista regulatório e financeiro para a adoção de novas redes é mais lento. Isso pode ser visto como uma desvantagem ou como uma espera sensível para permitir que outros experimentem as dificuldades daqueles que decidem se aventurar primeiro.

Assim como acontece com qualquer nova tecnologia, existem considerações de segurança. Os provedores de serviços precisarão combater a evolução do malware que virá junto com a nova infraestrutura 5G e implementar serviços e soluções de prevenção de ameaças que ofereçam segurança através de camadas, incluindo a aprendizagem automática, para lidar com o aumento e capacidade da rede. A inteligência de ameaças e medidas de segurança proativas são componentes essenciais para qualquer dispositivo ou serviço desenvolvido para usar 5G e projetado para ser seguro.

É fundamental lembrar que a compreensão da psicologia e da mentalidade dos cibercriminosos é muito importante e, para conseguir isso, é preciso que sejam realizadas pesquisas mais amplas no campo da segurança, pois ajudarão a indústria a prever onde os criminosos poderiam ver uma nova oportunidade. Portanto, enquanto a tecnologia 5G se moverá para nós rapidamente, o benefício da maior velocidade chegará a um custo que significará a necessidade crucial de manter a tecnologia segura.

Discussão