Cuidado com os encontros no Dia dos Namorados

Cuidado com os encontros no Dia dos Namorados

Se você acha que uma videochamada é prova suficiente de que do outro lado da tela existe uma pessoa real, pensará duas vezes depois de ver o caso deste post.

Se você acha que uma videochamada é prova suficiente de que do outro lado da tela existe uma pessoa real, pensará duas vezes depois de ver o caso deste post.

Chegou o tão esperado Dia dos Namorados, e as lojas estão cheias de sugestões de presentes, os bares e os restaurantes estão lotados, ornamentados com velas, corações e todo tipo de promoção para os casais apaixonados. E o mundo digital não fica de fora dessa, assim como ocorre em outras datas especiais. O Google apresenta o seu doodle do Dia dos Namorados, as redes sociais te fazem relembrar os momentos de amor. Além disso, os sites de encontros dão promoções para encontrar a sua “metade da laranja”, os cibercriminosos e os golpistas também aproveitam essa ocasião para enganar os usuários mais vulneráveis que não querem passar este dia sozinhos.

Nesse contexto, é importante estar atento e informado sobre os diferentes tipos de golpes que costumam se popularizar em torno dessa data e, sobretudo, aqueles criminosos que aproveitam para entrar em contato com usuários desprevenidos com a promessa de encontrar a sua alma gêmea. E o Dia dos Namorados é uma ótima data para usar essas técnicas de Engenharia Social com o intuito de fazer novas vítimas.

O golpe pode ocorrer de diferentes formas, mas muitas vezes envolvem a um possível pretendente que busca conquistar o nosso amor, seja por meio de um email, um site de relacionamentos, uma mensagem ou uma nova solicitação de amizade em alguma rede social. Neste post vamos mostrar como é possível desmascarar aqueles que se escondem por trás de perfis falsos.

Acreditar ou desconfiar: quem realmente está do outro lado?

Existem diversos sinais que indicam que a pessoa com a qual estamos falando pode não ser quem diz ser. A maioria deles tem a ver com comportamentos suspeitos: muita intensidade em pouco tempo, grande interesse por informações pessoais, pouca abertura quando se trata de si mesmo, e o mais difícil de perceber: muita “perfeição”.

Além desses sinais, também podemos observar outros detalhes. A primeira fonte de informação que temos do nosso candidato é a foto do perfil, assim como também outras fotos que tenha publicado ou enviado. Será mesmo que é exagero considerar que pessoas cuja foto de perfil é um desenho ou uma frase seja um sinal de que existe algo errado?

Vamos supor, nesse caso, que o nosso pretendente escolheu uma foto de um suposto jovem para o seu perfil. Seria apenas questão de realizar uma busca dessa imagem na Internet para saber se a mesma foi obtida de algum banco de imagens ou qualquer outro perfil. Se a imagem aparece com diferentes nomes ou está sendo utilizada em diversos sites, podemos começar a pensar que não estamos falando com uma pessoa real.

Esse método se chama “pesquisa reversa por imagens” (do inglês “reverse image search”), e se trata de realizar uma busca com base em um arquivo de imagem, na qual o buscador utiliza informações como: a distribuição da palheta de cores, o tamanho, a assinatura (ou hash) ou os metadados da imagem. Você pode começar a procurar pelo Google, com a ferramenta de Pesquisa por Imagens. Assim como procura imagens a partir de uma palavra, também nos permite buscar informações de uma imagem desde um arquivo ou da URL da mesma.

Voltando para o nosso suposto pretendente, essa é a foto usada em seu perfil:

Parece um galã de filme, não é mesmo? No entanto, o seu rosto parece ser bastante familiar…. Vejamos o que o google diz sobre essa imagem:

É o ator Stephen Amell. O buscador conseguiu reconhecer a imagem e, inclusive, forneceu outras semelhantes e uma lista de sites onde a foto aparece.

Outra opção de busca é o TinEye, que utiliza os seus próprios algoritmos e padrões de reconhecimento, ou o Image Raider, que pesquisa simultaneamente em diversos buscadores (Bing, Yahoo e Google, entre outros).

No exemplo abaixo, você pode ver que realizamos a mesma busca através do TinEye:

 

Nesse caso, o TinEye não nos oferece outras informações importantes: três dos resultados encontrados pertencem a bancos de imagens.

Apesar de ser apenas um exemplo, deixa bastante claro de que como se trata de um ator aparecem diversas imagens, algo semelhante ocorre quando buscamos imagens utilizadas em perfis falsos. Apesar que talvez iremos obter bem menos resultados, podemos ver se a imagem provém de uma coleção, se está sendo utilizada em outros perfis ou se está associada a diferentes nomes.

Vamos supor, então, a nossa conversa tenha um certo seguimento durante um tempo, mas acabamos observando detalhes suspeitos de que pode ser um perfil falso. Consequentemente, decidimos dizer para o outro usuário que não queremos mais continuar conversando, e que não acreditamos que o mesmo seja quem diz ser. Então, o suposto pretendente se ofende e diz que nos enviará uma prova de que é real. Sugere enviar um vídeo dizendo qualquer coisa que queiramos ou, inclusive, se dispõe a fazer uma videochamada.

“Mas eu o vi!!!”

“Uma conversa por vídeo pode ser mesmo prova suficiente de que do outro lado da tela está uma pessoa real?”

Suponhamos que você está interagindo com uma imagem que se move, sorri e responde. Essas podem ser provas de que de fato essa pessoa está tentando roubar o seu coração e é com quem está se relacionando há algum tempo.

No entanto, existem diferentes aplicativos que permitem simular uma conversa por vídeo e, inclusive, personalizar nossos próprios vídeos com diversas ações.

Veja um exemplo de uma videochamada por meio do Facebook Messenger:

Esse é apenas um exemplo, produzido em nosso laboratório, de um dos vários aplicativos que estão disponíveis para simular vídeos e ligações. Esses aplicativos atuam como “falsas webcans” e podem ser baixados tanto em computadores como em celulares. Dentre as diversas funcionalidades que possui, como a edição e aplicação de efeitos ao vídeo, também nos permite adicionar vídeos baixados de um site, sons, e executar muitas ações em vídeos já pré-carregados.

Agora você já sabe: se não tiver cuidado, pode ser que o seu próximo pretendente não seja o mesmo que aparece nas fotos e vídeos trocados.

Os perfis falsos são bastante comuns, seja nas redes sociais, como parte de uma brincadeira, ou em sites de encontros, especialmente utilizados para convencer os usuários sobre presentes ou, inclusive, viagens que nunca ocorreram.

Além disso, são utilizados em crimes como o grooming, por assediadores que tentam estabelecer uma relação com crianças e jovens com o intuito de obter imagens e vídeos de índole sexual ou até mesmo concretizar um encontro.

Compartilhe essa informação com os seus amigos e também com os seus filhos para que estejam atentos e não sejam vítimas desses golpes.

Discussão