Dispositivos móveis para crianças: uma via de mão dupla

Dispositivos móveis para crianças: uma via de mão dupla

Na era da informação digital, na qual as crianças vivem com dispositivos móveis desde uma fase muito precoce da vida, os adultos tendem a pensar que esses novos internautas têm tudo sob controle. Enquanto isso, esquecem uma premissa fundamental: não será o seu conhecimento tecnológico, mas os valores derivados da experiência dos pais que fazem

Na era da informação digital, na qual as crianças vivem com dispositivos móveis desde uma fase muito precoce da vida, os adultos tendem a pensar que esses novos internautas têm tudo sob controle. Enquanto isso, esquecem uma premissa fundamental: não será o seu conhecimento tecnológico, mas os valores derivados da experiência dos pais que fazem

Na era da informação digital, na qual as crianças vivem com dispositivos móveis desde uma fase muito precoce da vida, os adultos tendem a pensar que esses novos internautas têm tudo sob controle. Enquanto isso, esquecem uma premissa fundamental: não será o seu conhecimento tecnológico, mas os valores derivados da experiência dos pais que fazem toda a diferença com relação a proteção.

Muitos pais costumam ver os smartphones ou tablets como um brinquedo a mais que os filhos usam para se divertir, sem considerar os riscos ao acessar essas tecnologias. Vamos ver quais são os perigos que carregam esses equipamentos quando são entregues às crianças sem tomar as precauções necessárias.

Quais são os perigos existentes com o uso das tecnologias móveis?

Quando os benefícios da Internet não estavam acessíveis para a maior parte da população, os pais tinham quase certeza de que seu filhos estariam seguros enquanto estivessem dentro de casa. Com o advento da tecnologia da informação, os computadores começaram a se comportar como portas para o mundo exterior; portas que se comunicam com os maravilhosos benefícios, mas também os variados perigos.

Com o advento de dispositivos móveis, essa conexão com um mundo que transcende o ambiente familiar se estende durante as 24 horas, independentemente de onde o usuário esteja. Por isso, nem sempre as crianças têm maturidade para detectar tentativas de fraudes que podem se espalhar através das redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas.

Além disso, muitas crianças instalam indiscriminadamente aplicativos por meio de lojas oficiais e de terceiros, sem ter o menor cuidado para entender o que eles estão realmente aprovando quando aceitam as permissões exigidas pelos aplicativos. Mesmo se a razão tentar alertá-los, as crianças acabam não tendo a experiência necessária para compreender as verdadeiras implicações de suas ações.

Dessa forma, eles podem ser vítimas de códigos maliciosos que roubam informações dos dispositivos, tais como fotografias armazenadas nos equipamentos ou que possam ser capturadas com a câmera do dispositivo. Caso essas fotografias contenham material sensível, sua publicação pode levar a cenários de extorsão e fraude.

Outro problema grave que ocorre no campo móvel é o grooming e o assédio sexual. As técnicas de Engenharia Social são a essência dessas práticas, que podem estar escondidas no aparente contato de um usuário que procura se aproximar.

Tudo isso vem do aspecto da privacidade ou da falta dela no espaço digital. As novas gerações têm incorporado o uso de redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas a partir de um estágio tão precoce na vida que o ato de “bater papo” pode ser tão natural como manter uma conversa cara a cara.

Por isso, é preciso que tanto os pais como as crianças, em família, façam o exercício de compreender as consequências que podem envolver o compartilhamento de dados pessoais por meios tecnológicos.

O papel das atuais soluções de segurança

Neste contexto, as soluções de segurança e o controle dos pais tornam-se ferramentas bastante úteis para combater esses riscos.

Em alguns posts anteriores explicamos como o malware móvel não deixa de crescer, o que em si pode ser motivo suficiente para justificar a instalação de uma solução de segurança. No entanto, muitos usuários argumentam que estas soluções não são de grande ajuda quando se trata de dispositivos móveis, já que consideram que os produtos de segurança tornam os equipamentos lentos ou consomem muito bateria. Dependendo da solução de segurança que é utilizada, das características do aparelho e do uso do dispositivo, isso pode ser verdade. No entanto, para que isso não ocorra, é preciso tentar diferentes soluções até encontrar a que melhor se adapte com as suas necessidades.

Além disso, você pode se perguntar quantas vezes por dia utiliza o tempo de vida de sua bateria com o uso de determinados jogos. Considerando isso, será que a proteção de seus dados não merece ainda mais?

As soluções de segurança móvel hoje incluem muitos mais recursos do que apenas a capacidade de funcionar como antimalware. Entre eles, permitem que você gerencie de forma fácil e rápida as conexões de entrada e saída do dispositivo, funcionando como firewall.

As soluções também permitem bloquear spam que chegam através de SMS, MMS e chamadas. O bloqueio de chamadas ou SMS quando não provém de números conhecidos também funciona como uma ferramenta para prevenir o assédio virtual, principalmente quando o dispositivo pertence a uma criança.

Além disso, você também pode administrar o equipamento de forma remota, sendo possível visualizar sua localização ou impedir que um atacante possa acessar suas informações.

Por que o controle parental é importante?

Além disso, as soluções de controle parental permitem administrar os aplicativos que estão instalados no dispositivo da criança e monitorar várias outras atividades. Assim, o adulto responsável pode avaliar quão benéfico ou prejudicial pode ser o aplicativo para a criança.

O controle parental também permite limitar os gastos dos aplicativos, impedindo as tentativas de realizar gastos em nome do usuário do equipamento.

Muitas vezes, os pais nos perguntam: “como posso espiar meu filho?” No entanto, é necessário compreender que a espionagem não é uma boa maneira de lidar com esses problemas. Quando se trata de proteção à criança, é necessário sempre manter canais de comunicação abertos e adotar uma posição negativo apenas pode fazer com que em caso de uma eventualidade, a criança decida lidar com isso em segredo.

Claro que as soluções móveis de controle parental incluem outras características que permitem aos pais exercerem sua autoridade sobre os meios tecnológicos. Por exemplo, a limitação do horário para que as crianças possam jogar no dispositivo ou o bloqueio de páginas com conteúdo inapropriado e e a localização do equipamento a qualquer hora.

Créditos da imagem: ©Juhan Sonin/Flickr

Discussão