Confira 4 dicas fundamentais de segurança para os pais

Confira 4 dicas fundamentais de segurança para os pais

A tecnologia parece ter avançado significativamente desde o início deste século. Naquela época, muitos de nós tínhamos equipamentos que pareciam uma caixa, com uma conexão à Internet extremamente lenta quando comparado com os padrões de hoje em dia. As redes sociais se encontravam ainda em uma etapa inicial, o serviço de internet bank não existia

A tecnologia parece ter avançado significativamente desde o início deste século. Naquela época, muitos de nós tínhamos equipamentos que pareciam uma caixa, com uma conexão à Internet extremamente lenta quando comparado com os padrões de hoje em dia. As redes sociais se encontravam ainda em uma etapa inicial, o serviço de internet bank não existia

Rawpixel-623x410

A tecnologia parece ter avançado significativamente desde o início deste século. Naquela época, muitos de nós tínhamos equipamentos que pareciam uma caixa, com uma conexão à Internet extremamente lenta quando comparado com os padrões de hoje em dia. As redes sociais se encontravam ainda em uma etapa inicial, o serviço de internet bank não existia e ninguém tinha ouvido falar de aplicativos móveis.

Quando visualizamos o presente, nos deparamos com uma imagem completamente diferente: o ano de 2016 é positivamente futurista para os padrões do ano 2000. Os equipamentos são elegantes, a internet banda larga é muito mais rápida, as redes sociais se converteram em uma parte intrínseca da vida e existe um aplicativo móvel para tudo.

Para muitos adultos, essa drástica mudança se desenvolveu em um segundo plano, enquanto todos seguiam com suas tarefas cotidianas. E embora alguns tenham sido equipados com as tecnologias mais recentes, sua compreensão sobre o mundo digital não é tão ampla como eles queriam: 20% dos adultos do Reino Unido, por exemplo, não têm os conhecimentos básicos para utilizar a Internet.

Isso constitui um problema, já que os pais tentam ensinar aos filhos conceitos de tecnologia e internet de uma época anterior: se sentem inseguros sobre o que devem fazer, até onde devem ir e qual é a melhor forma de se adequar a essa nova realidade.

De acordo com uma recente pesquisa realizada pela ESET, embora a maioria (88%) dos pais se preocupem com o conteúdo que os filhos podem acessar, muitos ainda não tomam medidas significativamente necessárias para melhorar a segurança dos pequenos.

Com essa ideia em mente, tentaremos começar por conceitos iniciais para preencher esses vazios de conhecimento. Este guia introdutório oferece alguns conselhos de segurança que te ajudarão a pensar, servindo de inspiração para a segurança online. Nunca é muito tarde para aprender sobre este assunto tão importante.

 

1.Familiarize-se com a Internet e com as tecnologias relacionadas

padres_seguridad

Ninguém espera que você tenha os conhecimentos e a experiência para competir com os especialistas sobre o assunto, pelo contrário. No entanto, é importante saber sobre o que está falando para compreender as ferramentas e os sites web que são populares entre as crianças de todas as idades, e para estarem cientes dos riscos das atividades online.

Por que? Porque se você não possui nenhum conhecimento (básico) sobre essa área, efetivamente não é possível saber nada sobre as vantagens e desvantagens da tecnologia e a Internet. Muito mais além de interpretar os sinais de abuso online, aprenda sobre as ameaças que afetam os gamers ou se familiarize com as redes sociais que são tão populares entre adolescentes, toda informação farte parte de seu suporte.

 

2. Introdução à tecnologia e a segurança online o mais cedo possível

niños_tecnologia

Alguns pais são cautelosos com relação ao acesso dos filhos a tecnologia e, inclusive, a web. No entanto, se o processo ocorre de forma controlada, você poderá se sentir mais seguro sobre as coisas que os pequenos vêm e fazem na Internet.

David Harley, Investigador Sênior da ESET, destacou que essa importante tarefa é tão vital que deveria ser introduzido “inclusive antes de ir à creche”. Como explicou em 2013:

Embora não a favor de dar aos bebês um acesso imediato e ilimitado ao mundo cibernético, é melhor tentar obter uma introdução guiada, motivando-os a testarem coisas novas, fazendo perguntas e estabelecendo um diálogo construtivo.

 

3. Não deixe de falar sobre as redes sociais e a privacidade

redes_sociales_adultos

Esta talvez seja uma das tarefas mais difíceis de administrar em relação a obter um equilíbrio entre usar as melhores práticas e ser autoritário. Cabe aos pais saberem quais limites devem ser estabelecidos, deixando os filhos em uma situação cômoda e, em última instância, improvisar à medida que eles crescem.

No entanto, ao longo do seu desenvolvimento, é essencial manter sempre “ativas” as conversas sobre as redes sociais. Enfoque no papel central das redes sociais na vida moderna (para manter o contato, compartilhar e aprender), mas também fale sobre os perigos associados, tais como o pedido de sexo e pedofilia online.

Além disso, destaque a importância da privacidade do ponto de vista da segurança: em outras palavras, compartilhe com consciência o ser “Share Aware”, como disse a organização beneficente britânica, conhecida com as iniciais NSPCC. Explicando-lhes porque compartilhar a informação pessoa deve ser limitada nas redes sociais, já que esses dados podem ser facilmente copiados e continuar sendo compartilhados, inclusive depois do usuário eliminar o post original.

 

4. Garanta que todos os seus dispositivos móveis estejam seguros e protegidos

dispositivos_internet

Antes, uma família comum tinha um equipamento e um só ponto de acesso estático para se conectarem à Internet. Isso mudou radicalmente. Dos smartphones aos tablets, dos equipamentos portáteis aos computadores de mesa e as televisões inteligentes às consolas de jogos conectados à Internet, agora temos a nossa disposição uma enorme variedade de dispositivos portáteis com acesso à Internet.

Tendo em conta como é difícil e pouco prático manter um controle constante dos filhos em todos os momentos, há um problema ainda maior: que os pais consigam sentir-se seguros de que podem supervisionar a atividade online dos filhos, inclusive, quando estejam fora de casa.

Com os aplicativos de controle parental, por exemplo, é possível solucionar este problema. Essa tecnologia permite aos pais “proteger aos filhos que usam smartphones e tablets nessa era digital complexa”, ao mesmo tempo que os ajuda a controlar a fatura telefônica impedindo as compras integradas em aplicativos móveis.

O que faz com que este tipo de segurança seja tão eficaz é a capacidade de adaptação: os pais podem modificar a configuração segundo a idade de cada filho, por exemplo. Juntos, você e seus filhos podem fechar um acordo com relação a configuração mais apropriada para eles. Isso não é apenas os torna mais responsáveis, como também te permite sentir-se mais à vontade com as “liberdades” que são dadas.

 

A ponta do iceberg

Esperamos que as 4 dicas de segurança mencionadas acima possam contribuir para que você possa sentir-se mais confiante. Além disso, que possa te ajudar a perceber o mais importante: a segurança online e o bem-estar de seus filhos.

Essa é apenas a ponta do iceberg: existe muito mais coisas que podem ser feitas para garantir que seus filhos possam aprender com êxito a usar a tecnologia e a Internet.

De todas as formas, com este guia você já deu o primeiro passo e estabeleceu bases solidas sobre as quais é possível desenvolver sua compreensão sobre esse assunto tão importante. Dia a dia, o mundo se torna mais digital, por isso, é imprescindível continuar o passo.

 

Autor: Editor, da ESET.

Discussão