Como saber se um aplicativo é apropriado para seu filho?

Como saber se um aplicativo é apropriado para seu filho?

Atualmente passamos mais tempo que nunca em nossos smartphones e tablets, com dispositivos mais potentes e econômicos que tem um enorme impacto em nossa vida. Uma das principais razões do abandono dos computadores de mesa e outras formas de entretenimento se deve a crescente popularidade dos aplicativos para dispositivos móveis, que desde 2008 se converteram

Atualmente passamos mais tempo que nunca em nossos smartphones e tablets, com dispositivos mais potentes e econômicos que tem um enorme impacto em nossa vida. Uma das principais razões do abandono dos computadores de mesa e outras formas de entretenimento se deve a crescente popularidade dos aplicativos para dispositivos móveis, que desde 2008 se converteram

Atualmente passamos mais tempo que nunca em nossos smartphones e tablets, com dispositivos mais potentes e econômicos que tem um enorme impacto em nossa vida. Uma das principais razões do abandono dos computadores de mesa e outras formas de entretenimento se deve a crescente popularidade dos aplicativos para dispositivos móveis, que desde 2008 se converteram em um elemento central da vida moderna.

Em linhas gerais, os pais estão de acordo com esta mudança, pois os aplicativos, junto com as tecnologias de última geração, lhes oferecem muitas formas de enriquecer a vida dos filhos.

No entanto, assim como os aplicativos têm muitos aspectos positivos, também possuem desvantagens e aqui é onde o conhecimento dos pais pode ser insuficiente. Compreender totalmente as implicações de segurança dos aplicativos, saber o que as crianças fazem online e, inclusive, entender a vida digital dos filhos pode ser desafiante.

Neste post, enumeramos alguns dos principais elementos que você deve ter atenção na hora de avaliar se um determinado aplicativo é adequado para seus filhos. Para isso, analisaremos as duas lojas de aplicativos mais populares do mundo: Play Store do Google e App Store da Apple.

Em primeiro lugar: proteja os dispositivos!

Independente de se tratar de seu próprio dispositivo ou de um dispositivo que pertença a seu filho, é importante estabelecer medidas de segurança (desde o início) para que você tenha algum controle sobre o conteúdo ao qual seus filhos possam ter acesso (esteja você presente ou não).

Crie senhas, restrinja o acesso a alguns sites e converse com seu filho sobre o que você acredita que é aceitável ou não sobre a utilização do dispositivo móvel, navegar pela web e interagir com os aplicativos.

É importante considerar o uso de um aplicativo de segurança, que te ajude a permanecer tranquilo enquanto esteja fora de casa. Os aplicativos de controle parental, por exemplo, são cada vez mais populares, pois oferecem um alto nível de segurança, que pode ser modificado de acordo com a idade da criança.

Algumas das versões mais sofisticadas deste tipo de software também trazem a tecnologia de revisão de aplicativos já incorporados, através da qual o programa bloqueia automaticamente os aplicativos inapropriados para a idade, oferecendo assessoramento sobre os aplicativos de acordo com os grupos de idade e estabelecendo limites para certos aplicativos.

Play Store do Google

O Google investiu muito tempo e dinheiro para fazer com que a loja de aplicativos móveis se tornasse mais familiar, segundo foi anunciado por Eunice Kim, gerente de produtos do Google Play, no início do ano.

“Talvez você esteja tentando entreter uma criança em um avião cheio de gente, estimular o amor de seu filho pela leitura ou simplesmente encontrar um filme que toda a família possa ver, a possibilidade de encontrar um conteúdo correto deve requerer apenas um ou dois toques”, explicou.

“Os pais querem o melhor para os filhos, mas quando se trata de entretenimento digital, pode ser difícil saber o que buscar”.

Algumas das características que o gigante da tecnologia tem desenvolvido inclui um filtro “familiar”, que permita aos pais identificarem (de imediato) aplicativos adaptados para as crianças, entre diversas categorias; e uma “estrela familiar”, que marca os aplicativos com o conteúdo adequado para os pequenos.

Além disso, para evitar que as crianças acumulem, sem querer, enormes faturas por acessar a certos aplicativos pagos, Google agora obriga aos desenvolvedores a ressaltarem se o aplicativo inclui compras integradas.

Como nível adicional de segurança, para os aplicativos que se intitularam como apropriados para as idades de 0 a 12 anos, o usuário deve ingressar uma senha para poder realizar as compras integradas ao aplicativo.

App Store da Apple

Da mesma forma que o Google, a partir deste ano, a Apple modificou o aplicativo App Store para que seja mais familiar: um exemplo notável é a transformação da categoria crianças. Não apenas está orientada especificamente para as crianças menores de 12 anos, como também inclui certas categorias para os pais.

Outras medidas que a Apple tem incorporado nos últimos anos inclui a capacidade de desativar as compras integradas nos aplicativos por meio de um princípio e etiquetar todos os aplicativos da loja que tenham a funcionalidade de compras integradas.

Cada aplicativo também conta com uma classificação por idade, o que permite aos pais verem rapidamente se é adequado para seus filhos. Par dar um exemplo, o aplicativo Snapchat se classificou como adequado para crianças de 12 anos ou mais pelas seguintes razões: conteúdo sexual e de nudez pouco frequentes ou leves; linguagem obscenas pouco frequente ou leve; e o uso ou referências ao uso de álcool, tabaco ou drogas pouco frequentes ou leves.

O começo de um mundo mais seguro dos aplicativos

Se você é um usuário do Android ou do iOS e tem em conta os pontos mencionados anteriormente, tenha certeza que, no que se refere aos aplicativos e a segurança das crianças, terá cumprido muitos aspectos.

Depois de tudo, aprecie as possibilidades e serviços que os aplicativos oferecem e permita que as crianças também tenham acesso a eles.

Se este post conseguiu despertar seu interesse sobre a segurança online e se você gostaria de saber mais sobre o assunto, temos muitos recursos para compartilhar. Seu caminho para se tornar um pai cibernético começa aqui.

Saiba como tornar-se um DigiPai em nossa página, preparada pela ESET.

Discussão