Solicitações de governos por dados privados do Facebook sobem 24%

Solicitações de governos por dados privados do Facebook sobem 24%

As solicitações de entrega de dados privados do Facebook aumentaram quase 25% desde o segundo semestre de 2013, segundo a própria rede social. No blog da empresa, Chris Sonderby, membro do conselho geral do Facebook, anunciou que nos primeiros seis meses de 2014, governos do mundo inteiro fizeram 34.946 solicitações pedindo dados, um aumento de

As solicitações de entrega de dados privados do Facebook aumentaram quase 25% desde o segundo semestre de 2013, segundo a própria rede social. No blog da empresa, Chris Sonderby, membro do conselho geral do Facebook, anunciou que nos primeiros seis meses de 2014, governos do mundo inteiro fizeram 34.946 solicitações pedindo dados, um aumento de

As solicitações de entrega de dados privados do Facebook aumentaram quase 25% desde o segundo semestre de 2013, segundo a própria rede social.

No blog da empresa, Chris Sonderby, membro do conselho geral do Facebook, anunciou que nos primeiros seis meses de 2014, governos do mundo inteiro fizeram 34.946 solicitações pedindo dados, um aumento de 24% em relação aos últimos 6 meses de 2013. Ele também afirmou que durante este nesse período, o conteúdo que passou a ser restrito pelos próprios usuários subiu 19%.

“Analisamos cada pedido que recebemos de governos para definir se eles se encaixam nos termos da lei, e questionamos veemente esses pedidos se encontramos falhas ou se são exagerados de alguma forma”, afirmou Sonderby.

O representante da rede social foi enfático sobre a quantidade de solicitações que ele considera abusivas, ilustrando com uma solicitação recebida de um fórum de Nova York que pedia dados de ‘quase 400 usuários’. Ele afirmou que “Essa solicitação inédita foi sem dúvida a maior que já recebemos. Nosso argumento é que essas solicitações, exageradas enquanto aos números, entram em conflito com os direitos à privacidade dos usuários do Facebook e ignoram medidas constitucionais que são contra mandados de busca insensatos”.

Ele ainda adicionou que “Embora nossos argumentos não tenham sido ganhadores em uma primeira instância, estamos apelando de forma agressiva em instâncias maiores para invalidar esses mandados coletivos e forçar o governo a devolver os dados que foram entregues a eles”.

O site da Time reportou que a forma transparente em que a empresa opera têm limites, e que não pode revelar detalhes de ordens que pode ou não ter recebido das leis dos Estados Unidos conhecidas como Foreign Intelligence Surveillance Act e National Security Letters, já que “essas leis permitem ao governo vigilar dados por razões de segurança, porém companhias não possuem permissão legal para entregar informações exatas de suas solicitações”.

O site da BBC informou que o aumento no número de solicitações é muito maior do que o Google reportou para o mesmo quesito no mesmo período: “Em setembro, a Google reportou um aumento de 15% nas solicitações comparando com os seis meses anteriores. Nos últimos 5 anos, o aumento nesse número foi de 150%”.

Sukharevskyy Dmytro (nevodka) / Shutterstock.com

Discussão