Dias após o DNSChanger

Dias após o DNSChanger

Tempos atrás surgiu uma ameaça conhecida sob a nomenclatura DNSChanger, que é detectada pelo ESET NOD32 Antivirus como Win32/DNSChanger. Este malware tem como finalidade redirecionar os usuários infectados a sites maliciosos. Os redirecionamentos são feitos com a modificação dos endereços IP dos DNS do sistema infectado. No último dia 9 de julho, o FBI tirou

Tempos atrás surgiu uma ameaça conhecida sob a nomenclatura DNSChanger, que é detectada pelo ESET NOD32 Antivirus como Win32/DNSChanger. Este malware tem como finalidade redirecionar os usuários infectados a sites maliciosos. Os redirecionamentos são feitos com a modificação dos endereços IP dos DNS do sistema infectado. No último dia 9 de julho, o FBI tirou

Tempos atrás surgiu uma ameaça conhecida sob a nomenclatura DNSChanger, que é detectada pelo ESET NOD32 Antivirus como Win32/DNSChanger. Este malware tem como finalidade redirecionar os usuários infectados a sites maliciosos. Os redirecionamentos são feitos com a modificação dos endereços IP dos DNS do sistema infectado. No último dia 9 de julho, o FBI tirou de funcionamento os servidores DNS maliciosos, sobre os quais a própria instituição havia tomado controle. Desta forma, todos os usuários que continuem infectados com o DNSCHanger estão sem acesso à Internet por não terem como converter os nomes em endereços IP.

Além da ESET e do FBI terem oferecido ferramentas para ajudar a informar os usuários que estiveram infectados, sendo que o Google também ofereceu ajuda nesse sentido. O buscador analisava os servidores dos endereços que faziam buscas no site, e no caso de identificar um servidor malicioso, alertava o usuário, indicando que seu sistema poderia estar infectado.

A equipe da ESET América Latina recompilou dados baseados nas detecções reportadas do DNSChanger. Desta forma, é possível considerar quais foram os países mais afetados da região latino-americana. O México conta com 42,4% das detecções. Na posição seguinte, com taxas de detecção similares, estão a Argentina com 10,9%; Peru com 10,7% e o Brasil com 10,1% do total de infecções na América Latina. A seguir, você pode observar um gráfico que reflete a situação na região:

Outro dado que vale a pena destacar é que essa porcentagem está baseada em detecções, e por isso o número de usuários que realmente ficaram sem acesso à Internet pode ser inferior, devido à possibilidade de muitos sistemas já terem sido limpos.É importante destacar que o México, juntamente com a Argentina, Peru e Brasil reflitam aproximadamente 80% do total das infecções na América Latina. Contudo, existem outros países dentro da região que, em menor medida, também foram afetados pelo DNSChanger.

Para os usuários que tenham ficado sem acesso à Internet devido a este malware, é recomendável que baixem o ESET NOD32 Antivirus em um computador que tenha acesso à Internet e utilizem algum dispositivo de armazenamento removível (USB, cartão SD, discos externos, dentre outros) para instalá-lo no computador infectado. Nesse momento será necessário executar uma análise para limpar o sistema infectado. É importante destacar que é importante, além disso, contar com um software antivírus com capacidade de detecção proativa para se proteger contra ameaças que circulam na rede, incluindo o DNSChanger.

Fernando Catoira
Analista de Segurança

Discussão