Silk Road 2.0, o site de tráfico de drogas da Deep Web é fechado

Silk Road 2.0, o site de tráfico de drogas da Deep Web é fechado

Depois de um ano do lançamento na Deep Web (logo após o fechamento do seu antecessor, Silk Road, pelo FBI), o site de compra e venda de drogas ilegais conhecido como Silk Road 2 teve o mesmo destino, segundo o site Wired Reports. O Silk Road 2.0 somente era acessível através do navegador anônimo TOR,

Depois de um ano do lançamento na Deep Web (logo após o fechamento do seu antecessor, Silk Road, pelo FBI), o site de compra e venda de drogas ilegais conhecido como Silk Road 2 teve o mesmo destino, segundo o site Wired Reports. O Silk Road 2.0 somente era acessível através do navegador anônimo TOR,

silk_road_fbi-623x432

Depois de um ano do lançamento na Deep Web (logo após o fechamento do seu antecessor, Silk Road, pelo FBI), o site de compra e venda de drogas ilegais conhecido como Silk Road 2 teve o mesmo destino, segundo o site Wired Reports.

O Silk Road 2.0 somente era acessível através do navegador anônimo TOR, e segundo estimativas, vendia 8 milhões de dólares por mês em drogas e outros produtos ilegais.

Uma coalisão de agências policiais internacionais, que inclui o FBI, Europol e o Departamento de Segurança Doméstica dos Estado Unidos prenderam o suposto responsável pelo site, Blake Benthall, semana passada em San Francisco, Califórnia. Ele foi acusado de vários crimes, como tráfico de narcóticos, conspiração ligada ao hacking de computadores, lavagem de dinheiro e tráfico de documentos falsificados.

O site Gizmodo expressou que a derrubada do Silk Road pela segunda vez poderia ser somente o começo de uma operação muito maior, sugerindo que outros mercados de drogas – Cloud9, Hydra e o foro do Cannabis Road aparentemente também foram fechados.

O Procurado Geral dos Estados Unidos, Preet Ohara, falou em uma nota de imprensa, “Sejamos claros – este Silk Road, em qualquer formato, é o caminho certo para a cadeia. Os que querem seguir o mesmo caminho destes supostos criminosos têm que entender que voltaremos quantas vezes sejam necessárias para fechar esses bazares nocivos”. “Não nos cansaremos nunca”, adicionou.

O site Wired publicou que um Silk Road 3.0 seria algo difícil de criar, já que a operação que derrubou o Silk Road 2.0 também incluiu o foro onde os administradores e a comunidade de compradores e vendedores se comunicavam. “Essa ação poderia dificultar muito para que os administradores e seus usuários se unam de volta e lancem um Silk Road 3”, escrevem.

O site Forbes afirmou que o Silk Road 2.0 tinha “150.000 usuários ativos até setembro, movimentando 8 milhões de dólares em opiáceos, maconha e outros produtos ilícitos em um mês”.

Considerando que Ross Ulbricht, que tinha sido acusado e preso em outubro de 2013 por ser o responsável pelo Silk Road 1.0 somente será julgado em 2015, é muito possível que esse novo caso demore para ser resolvido.

 

Author Editor, ESET

Adaptação Ilya Lopes, ESET

Discussão