Chega de cartão de credito! Na Suécia se paga com sangue

Chega de cartão de credito! Na Suécia se paga com sangue

Em 15 comércios espalhados pela cidade de Lund, na Suécia, já é possível comprar sem ter um cartão de crédito. Você só precisa ter as veias corretas. O Engenheiro Frederik Leifland explica: “Eu tive a ideia quando estava na fila do supermercado e percebi como era demorado o processo de pagamento. Demorava muito, então pensei

Em 15 comércios espalhados pela cidade de Lund, na Suécia, já é possível comprar sem ter um cartão de crédito. Você só precisa ter as veias corretas. O Engenheiro Frederik Leifland explica: “Eu tive a ideia quando estava na fila do supermercado e percebi como era demorado o processo de pagamento. Demorava muito, então pensei

veinhand

Em 15 comércios espalhados pela cidade de Lund, na Suécia, já é possível comprar sem ter um cartão de crédito. Você só precisa ter as veias corretas.

O Engenheiro Frederik Leifland explica: “Eu tive a ideia quando estava na fila do supermercado e percebi como era demorado o processo de pagamento. Demorava muito, então pensei que tinha que existir uma forma mais rápida de pagar, e assim nasceu o Quixter”.

Em uma entrevista para o site científico Humans Invent, Lefland explicou como ele espera que esse projeto possa algum dia substituir os pagamentos com meios físicos de autenticação. O padrão das veias da mão de cada ser humano é único – o sistema de Leifland utiliza o rastreamento infravermelho para identificar esse padrão em um dedo.

O site de biometria FindBiometrics informa que essa tecnologia é nova e vem sendo utilizada em empresas que exigem altos níveis de segurança. O site ainda afirma que “o reconhecimento através do padrão de veias é um avanço tecnológico razoavelmente novo no campo da biometria, e vem sendo utilizado em hospitais, delegacias de polícia, quartéis militares, etc.”.

Outro site, porém de tecnologia (TechCrunch), lembra que o reconhecimento através do padrão de veias já é utilizado para confirmar transações bancárias de valores altos em países como o Japão, porém esse método serve somente como um segundo fator de autenticação.

Leifland afirma que sua empresa, Quixter, não é a única que desenvolve a tecnologia mencionada – mas é a primeira a comercializá-la. Ele pretende criar uma forma de pagamento que não envolva dinheiro, celulares ou dispositivos móveis.

Existem cerca de 1.600 testadores desse sistema de acordo com a Tech Times. Leifland diz que “quando você paga o supermercado, você digita os últimos quatro dígitos do seu telefone e logo coloca a mão sobre o sensor. A transação completa dura menos de cinco segundos”.

O responsável pelo desenvolvimento da tecnologia ainda coloca que a razão para digitar os quatro dígitos finais do telefone é para fazer com que o cliente olhe para o caixa e confirme que está pagando o valor correto.

Os sistemas de pagamentos baseados em biometria são uma tendência em crescimento no momento, graças também ao novo telefone celular Galaxy S5 da Samsung que já vem de fábrica com um sistema PayPal e outras empresas que estão inovando com sistemas que fazem o rastreamento das íris dos olhos, além de outras técnicas biométricas.

Uma pesquisa feita pela empresa Ericsson que contava com a participação de 10.000 usuários de iOS e Android revelou que a “fome” desses usuários pela biometria é grande – e a Ericsson previu que impressões digitais “seriam somente o começo”.

Um porta-voz dessa empresa concluiu que “os consumidores prefeririam não ter que utilizar mais senhas, e essa é a razão pelo interesse em alternativas biométricas”.

Vale a pena lembrar que os sistemas baseados somente em simples senhas alfanuméricas já são quase obsoletos hoje em dia, e um duplo fator de autenticação é praticamente uma unanimidade em transações que envolvam dados

 

Autor Rob Waugh, We Live Security

Adaptação, Ilya Lopes, ESET

 

Discussão